Dior demite do estilista John Galliano após acusações de racismo

Dior demite do estilista John Galliano após acusações de racismo

O jornal inglês "The Sun" publicou um vídeo amador em que Galliano diz amar Hitler.

A grife Dior anunciou nesta terça-feira (1º) que deu início ao processo de demissão do estilista John Galliano. Chefe de criação da marca, ele havia sido suspenso de suas atividades depois de ter sido detido em Paris, na última quinta-feira (24), acusado de insultos antissemitas.

"Condeno firmemente o que foi dito por John Galliano e que contradiz totalmente os valores defendidos por Christian Dior", disse Sidney Toledano, executivo-chefe da marca.

Na segunda (28), o jornal inglês "The Sun" publicou um vídeo amador em que Galliano diz amar Hitler. Testemunhas ouvidas pela polícia disseram também que ele agrediu verbalmente o cliente de um bar por sua origem asiática.

Biografia

Nascido em Gibraltar, em 1960, John Galliano comanda o braço criativo da Dior desde 1996. Filho de um encanador inglês e de uma espanhola, ele é um dos estilistas mais inventivos de sua época, deslumbrando as passarelas parisienses a cada temporada com suas criações ousadas e desfiles que são verdadeiros espetáculos de extravagância.

Ele se formou na prestigiada Saint Martin"s School of Art de Londres, de onde saíram alguns dos estilistas mais vanguardistas do século XX, que ajudaram a elevar a capital inglesa à elite das capitais mundiais da moda.

John Galliano começou desfilando na Semana de Moda londrina. Em 1987, venceu o prêmio de melhor estilista britânico do momento. Em 1993, decidiu se mudar para Paris, onde vive até hoje.

Dois anos mais tarde, foi contratado pelo presidente da prestigiosa LVMH, Bernard Arnault, como diretor de criação da Givenchy, outra das marcas de luxo mais disputadas do mundo.

Desde 1999, Galliano dirige todas as linhas femininas da Dior, além da divisão de artigos de couro e da imagem da marca. Ao mesmo tempo, desenha suas próprias coleções.

Fonte: g1, www.g1.com.br