Em Assis,cidade do santo que inspirou seu nome, Papa fala sobre lágrimas

Pontífice lamentou morte de imigrantes em naufrágio em Lampedusa

O Papa Francisco defendeu nesta sexta-feira, ao chegar em Assis (Umbria, centro da Itália), cidade do santo que inspirou a escolha de seu nome, uma igreja solidária com os deficientes e as pessoas marginalizadas, um dia depois da morte de centenas de imigrantes em Lampedusa.


Em Assis, cidade do santo que inspirou seu nome, Papa fala em

"Hoje é um dia de lágrimas", disse o Papa sobre o naufrágio, que deixou 130 mortos e 200 desaparecidos.

"Ao mundo não importa se as pessoas devem fugir da escravidão, da fome, buscando a liberdade", lamentou o pontífice na cidade de São Francisco de Assis.

Francisco pediu aos católicos que se inspirem no modelo de São Francisco, que abriu mão de todos os bens e viveu na pobreza.

O Papa argentino condenou também o "espírito mundano", que chamou de "lepra, câncer da sociedade, que mata a Igreja".

"O cristianismo sem a cruz, sem Jesus, é como uma padaria, um lindo bolo", completou.

A visita de 10 horas, de grande valor simbólico, permitirá ao Papa desenvolver suas ideias sobre o desejo de construir uma igreja simples.

Na primeira visita do dia, ao Instituto Católico de Atendimento aos Deficientes Físicos e Mentais Serafico, ao pé do monte Subiaco, o papa saudou 80 pacientes, um a um, com palavras e gestos de carinho.

Neste dia de luto na Itália após a tragédia com os imigrantes africanos em Lampedusa, o sumo pontífice pediu aos cristãos que reconheçam as feridas de Jesus em toda pessoa que é "a carne de Cristo".

Francisco também está propondo mudanças na Cúria romana, governo do estado do Vaticano. Nesta semana, o Papa disse que a Cúria é ?vaticanocêntrica? e se reuniu com oito cardeais escolhidos por ele para estudar mudanças no governo do estado do Vaticano e aproximar a igreja dos fieis.

Fonte: G1