Erro médico: mulher morre após fazer uma cirurgia de redução de estômago

De acordo com a publicação, por causa da infecção, ela teve uma parada cardíaca provocada por uma pneumonia e sofreu danos cerebrais devastadores.

Muito acima do peso, a britânica Joanne Slater, 38 anos, resolveu fazer uma operação de redução de estômago para poder ter filhos. De acordo com os médicos, a cirurgia tinha como objetivo controlar um desequilíbrio hormonal que poderia ser a causa de sua dificuldade em engravidar. Porém, após a operação, ela desenvolveu uma infecção no sangue que a levou à morte.

De acordo com a publicação, por causa da infecção, ela teve uma parada cardíaca provocada por uma pneumonia e sofreu danos cerebrais devastadores.

Logo após a descoberta da infecção sanguínea de Joanne, seu marido, Michael Slater, conta que os médicos prescreveram suplementos alimentares como o cobre e a vitamina D pensando que sua condição fosse um efeito colateral de sua cirurgia.

? Pedi aos médicos que me dissessem como a infecção havia chegado ao sangue dela, eles não sabiam explicar. É uma infecção rara, que só poderia ser relacionada à cirurgia.

Na época da cirurgia, até o marido da vendedora adquiriu hábitos saudáveis, praticando esportes como a caminhada e a dança.

A cirurgia à qual Joanne foi submetida faz com que o estômago seja reduzido, ou seja, os pacientes se sentem satisfeitos mais rapidamente, o que diminui a quantidade de calorias absorvidas pelo intestino.

Após a operação, Joanne conseguiu perder metade de seu peso antes de dar à luz Lily-Mai. No entanto, desenvolveu graves deficiências nutricionais e uma listeria rara [infecção no sangue].

A vendedora de seguros já havia sofrido três abortos espontâneos em 1995,1998 e 2000.

Fonte: r7