Escolas britânicas mostram celulite de Britney aos alunos

As escolas querem aumentar a autoestima de alunos de 10 e 11 anos de idade.

Escolas britânicas vão usar fotos da cantora Britney Spears de biquíni para tentar aumentar a autoestima de alunos de 10 e 11 anos de idade. As imagens, divulgadas pela própria cantora, mostram como sua celulite foi retocada com programas de computador e suas pernas e quadris, afinados.

O objetivo do programa educacional, que tem apoio do governo e foi criado pela organização sem fins lucrativos Media Smart, é mostrar como as fotografias em revistas e anúncios são alteradas digitalmente e criam "um grau de perfeição que é inalcançável na sociedade".

"Os jovens estão recebendo padrões impossíveis a partir das imagens com as quais eles se deparam diariamente na mídia e na publicidade e há indícios de que isso tem um impacto negativo em sua autoestima", disse a secretária de Igualdade britânica, Lynne Featherstone. "Eu quero que as crianças percebam desde cedo que seu valor é tão maior que apenas sua aparência física".

Lingerie e diversidade

O material de ensino consiste em uma apresentação de PowerPoint mostrando fotografias publicadas em revistas famosas e em outdoors, além de instruções para os professores explicando "a influência da mídia e da publicidade na maneira como os jovens veem seu corpo".

Parte da apresentação mostra fotos de modelos e tenta estimular os alunos a pensar nos objetivos das marcas e publicações ao escolher aquelas imagens. O material também traz campanhas que ficaram famosas por desafiar a norma, como as da grife Benetton e dos produtos Dove, mostrando diversidade cultural e "mulheres comuns".

A aula também mostra uma fotografia da atriz Keira Knightley com o busto aumentado digitalmente e imagens de anúncios de maquiagem e perfume, em que os modelos têm uma pele absolutamente perfeita. Para terminar, a Media Smart sugere que os professores discutam com os alunos a "importância das características pessoais e valores humanos em relação à beleza física".

A organização também apresenta estatísticas que indicam que modelos e atrizes que aparecem na mídia têm cerca de 50% menos gordura que mulheres saudáveis e que seis em cada 10 adolescentes acham que seriam mais felizes se fossem mais magras.



Fonte: Terra