Espanha em "estado de alerta" por greve em aeroportos

Fechamento do espaço aéreo no país foi ampliado até as 19 horas.

O governo espanhol declarou "estado de alerta" no país devido à situação nos aeroportos pela paralisação dos controladores, obrigando ao fechamento do espaço aéreo espanhol, atualmente sob controle militar, anunciou o primeiro vice-presidente do Executivo, Alfredo Pérez Rubalcaba.

Na sexta-feira o exército espanhol tomou o controle das torres de tráfego aéreo, depois que uma greve não oficial dos controladores deixou aviões parados e interrompeu a viagem de aproximadamente 250 mil pessoas em um dos finais de semana mais ocupados da Espanha.

"Havíamos dito que se a situação dos aeroportos não se normalizasse, seria declarado o estado de alerta. Está claro que a situação não se normalizou", afirmou o vice primeiro-ministro Alfredo Pérez Rubalcaba após reunião de gabinete.

É a primeira vez desde o retorno da democracia na Espanha que se declara o estado de alerta, um dos três estados de emergência que a constituição prevê para casos de catástrofes naturais, epidemias ou paralisação de serviços públicos essenciais.

A decisão de sexta-feira tomada por Madri veio após um caos histórico que levou ao fechamento da maior parte do espaço aéreo e a paralisação de até 90 por cento dos funcionários das torres de controle.

As companhias aéreas Iberia e Ryanair anunciaram neste sábado que cancelaram todos os voos provenientes ou com destino a Espanha devido a greve dos controladores.

A Iberia afirmou que todos os voos foram cancelados até a manhã de domingo, segundo comunicado da empresa.

A estatal aeroportuária Aena e os controladores há meses travam uma disputa envolvendo salários e condições de trabalho. Os controladores não declararam greve oficialmente, mas vários deles se disseram doentes e começaram a abandonar seus postos por volta de 14h (hora de Brasília), segundo nota da Aena, que pede aos passageiros que evitem os aeroportos afetados.

Esta semana, o primeiro-ministro da Espanha, José Luís Rodríguez Zapatero, anunciou a privatização de 49 por cento da Aena, uma medida que foi criticada pelos sindicatos.

A Aena informou que o espaço aéreo espanhol permanecerá fechado até as 13h (horário local) deste sábado. Apenas alguns voos internacionais pousaram durante a noite no aeroporto da capital espanhola.

Fonte: g1, www.g1.com.br