Estendemos a mão ao povo cubano, diz Obama sobre Fidel

"A história vai lembrar e julgar o enorme impacto", disse Obama.

O presidente dos EUA, Barack Obama, divulgou nota neste sábado (26) sobre o anúncio do falecimento do líder cubano Fidel Castro, morto aos 90 anos.

"Nós estendemos a mão da amizade ao povo cubano. Nós sabemos que este momento enche os cubanos --que estão em Cuba e nos EUA-- de fortes sentimentos porque os faz lembrar as inúmeras formas que Fidel Castro alterou o curso de vidas de pessoas, de famílias e da nação cubana", diz o comunicado.

Na nota, Obama afirma que "a história vai lembrar e julgar o enorme impacto dessa figura singular sobre as pessoas e o mundo ao seu redor".

Obama mencionou a relação conflituosa entre os dois países durante quase seis décadas, quando "o convívio entre os EUA e Cuba foi marcado por discórdia e profundas divergências políticas".

"Durante meu governo, nos esforçamos para deixar o passado para trás, buscando um futuro no qual o relacionamento entre nossos países seja definido não por nossas diferenças, mas pelas várias coisas que nós compartilhamos como vizinhos e amigos --laços familiares, cultura, comércio e humanidade", escreveu. 

"Hoje, nós damos condolências à família de Fidel Castro, e nossos pensamentos e orações estão com o povo cubano", acrescentou.

Mais cedo, o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, se pronunciou de forma bastante sucinta em seu perfil no Twitter sobre a morte do líder cubano. "Fidel Castro está morto", escreveu, nada além disso.

Fonte: UOL