Estuprador invade casa, abusa de menina e mata o seu irmão

Criança é morta ao defender irmã de estuprador

Dominick Andujar, 6 anos, ouviu os gritos da irmã na sala e foi correndo para ver o que estava acontecendo e tentar ajudá-la. Quando chegou lá viu que sua irmã, Amber de 14 anos, estava sendo abusada por Osvaldo Rivera, 35, e tentou salvar a menina, mas acabou sendo atacado pelo criminoso com facadas no pescoço e morreu.

As duas crianças foram cortadas na garganta por Osvaldo antes dele fugir. Amber conseguiu sobreviver e foi correndo para a rua toda ensanguentada gritando por ajuda.

O caso aconteceu em Camden, Nova Jersey, onde a família morava. Osvaldo, que morava perto deles, foi finalmente condenado a 110 anos de prisão. Após a morte da criança, a família descobriu um diário onde ele dizia que era um super-herói e iria salvar as pessoas.

A mãe das crianças, Debbie, é separada do marido e tinha feito uma cirurgia, portanto estava internada no hospital. As crianças, Dominick e Amber, estavam sob o cuidado dos irmãos mais velhos. Na época do crime Amber estava com 12 anos. Ela estava em casa dormindo no sofá quando Osvaldo entrou, a viu e foi para a cozinha pegar uma faca antes de abordá-la.

Então ele voltou para a sala, colocou a faca no pescoço da menina e abusou dela sexualmente, foi quando ela começou a gritar desesperada e acordou seu irmão.

O menino chegou a lutar com o agressor, mas não conseguiu detê-lo. Então ele cortou o pescoço de Amber e depois foi para cima de Dominick.

O corte na garganta do menino foi tão profundo que as suas pregas vocais ficaram expostas. Amber saiu da sala com o sangue jorrando e desmaiou na rua. Quando a policia chegou no local, Dominick estava morto na sala e Osvaldo tinha fugido.

Os investigadores encontraram DNA de Osvaldo nas unhas de Dominick que tentou salvar a irmã. Os outros irmãos saíram ilesos, mas todos ficaram chocados.A mãe ficou desesperada pela morte do filho e dizia que ele deu a sua vida para salvar a da irmã.

Amber passou por duas cirurgias para recuperar seu esôfago e traqueias que foram cortadas e incrivelmente conseguiu sobreviver. A menina ficou internada por dois meses no hospital e depois que os médicos estavam 100% certos da sua saúde, deram alta para ela.

Apesar de estar profundamente traumatizada, ela foi capaz de ajudar a polícia e havia reconhecido o agressor, que coincidentemente fazia cortes de cabelo nas crianças do bairro Ela sabia que o apelido dele era Poppy e depois a polícia descobriu que o chamavam de Popeye. Isso foi o suficiente para terem informações e encontrarem o apartamento dele.

Então, eles encontraram Osvaldo escondido no apartamento, atrás de um colchão ainda com marcas de sangue. As pegadas dentro do apartamento eram iguais as da cena do crime. No dia do julgamento, Amber apareceu com uma jaqueta que tinha a foto do irmão atrás. Chorando ela contava como tinha sido o ataque

O juri considerou Osvaldo culpado das acusações e ele foi condenado a 110 anos de prisão, sem direito a liberdade condicional por 91 anos


Image title

Image title



Fonte: Com informações do R7