Nos EUA, jovem bêbado faz vídeo e diz ter matado um durante batida:  "Vou me declarar culpado"

Nos EUA, jovem bêbado faz vídeo e diz ter matado um durante batida: "Vou me declarar culpado"

Homem de 22 anos confessa ter matado pessoa após choque em estrada.

Está causando polêmica na internet um vídeo que mostra um motorista bêbado do estado americano de Ohio confessando sua responsabilidade por um acidente com morte provocado pelo excesso de álcool e aconselhando os outros motoristas para que o trágico erro não se repita.

O vídeo, de qualidade profissional, foi divulgado pelo portal BecauseISaidIWould.com

Nele, o motorista de 22 anos faz sua confissão: "Meu nome é Matthew Cordle e, em 22 de junho de 2013, atingi e matei Vincent Canzani. Este vídeo serve como minha confissão."

A confissão dura três minutos e meio e começa com uma música dramática. Cordle, sentado num quarto escuro, com o rosto escondido por efeito de pixels, relata como "desmaiou" ao volante depois de uma noite de "consumo abusivo" de álcool e bateu, assim, em outro veículo numa pista inter-estadual.

"Quando me acusarem, vou me declarar culpado e assumirei a responsabilidade por tudo o que fiz a Vincent e a sua família", diz Cordle quando o efeito que esconde seu rosto desaparece e a câmera revela uma visão clara de sua face e seu braço, marcado por cicatrizes.

Cordle disse que "advogados muito poderosos" o informaram que ele poderia obter uma redução da pena ou não cumprir pena nenhuma caso concordasse em mentir. "Mas eu não vou desonrar a memória de Vincent e mentir sobre o que aconteceu."

O vídeo termina com Cordle olhando para a câmera e dizendo aos espectadores: "Estou pedindo que, por favor, não bebam e dirijam. Não posso trazer Canzani de volta (...) mas vocês ainda podem se salvar. Suas vítimas também."

Alex Sheen, fundador do BecauseISaidIWould.com, site financiado por doações onde as pessoas podem vir a público mostrar promessas, disse que Cordle o abordou mês passado através do Facebook.

"Não conheço Matt além disso", afirmou Sheen à rede de televisão CNN.

Se for condenado, Cordle pode receber uma sentença de prisão aberta de até oito anos.

Fonte: G1