EUA: condenado à morte agoniza por pelo menos duas horas em execução

O advogado disse que Wood tinha recebido uma mistura de duas drogas: midazolam combinada com hidromorfona, um derivado da morfina

Um condenado à morte agonizou durante quase duas horas nesta quarta-feira, após receber uma injeção letal durante uma execução no Arizona, sudoeste dos Estados Unidos, informou a promotoria estadual.

Joseph Wood, condenado por matar em 1989 sua ex-namorada e o pai da mulher, foi declarado morto às 15h49 locais (19h49 de Brasília) na cidade de Florence, quase duas horas após receber a injeção letal, às 13h52 (17h52), revelou o porta-voz da promotoria, Tom Horne.

Esta execução particularmente longa, já que em geral os condenados morrem em cerca de dez minutos, foi efetuada em meio a uma polêmica nos Estados Unidos em torno da eficácia e da origem dos produtos utilizados nas execuções.

"Levou duas horas para que Joseph Wood morresse, e ele lutou para respirar por cerca de uma hora e quarenta minutos", afirmou Dale Baich, advogado do executado, em um comunicado apresentado depois.

O advogado disse que Wood tinha recebido uma mistura de duas drogas: midazolam combinada com hidromorfona, um derivado da morfina. Mas esse coquetel experimental "falhou."

"O Arizona parece ter se juntado a vários outros estados irresponsáveis em um horror que era absolutamente previsível", denunciou Baich.

Wood, de 55 anos, foi condenado à pena de morte por ter matado a tiros em 1989 sua ex-namorada Debbie Dietz, de 29 anos, e seu pai Gene, de 55.

Nas últimas 24 horas, Wood havia apresentado vários recursos e apelado inclusive à Suprema Corte dos Estados Unidos pela falta de informações sobre o procedimento de injeção letal usado neste Estado.

Wood havia criticado os riscos de sofrimento inconstitucionais que poderia correr durante sua execução, na ausência de informações sobre os produtos utilizados e sobre a formação dos responsáveis pela aplicação da injeção letal.

O Arizona se limitou a indicar que Wood seria executado com os mesmos produtos utilizados em outra polêmica execução realizada em janeiro no estado de Ohio (norte). Durante aquela execução, o condenado se debateu e gemeu durante 26 minutos.

A execução de Wood foi a 26ª deste ano nos Estados Unidos, e a primeira no Arizona desde outubro de 2013. Neste estado, 37 condenados foram executados desde 1992.


EUA: condenado à morte agoniza por pelo menos duas horas em execução

Joseph Wood, de 55 anos, foi condenado à pena de morte por ter matado a tiros em 1989 sua ex-namorada Debbie Dietz, de 29 anos, e seu pai Gene, de 55

Foto: AP

Fonte: Terra