Escola é criticada após suspender aluno que participou de pornô gay

Escola é criticada após suspender aluno que participou de pornô gay

Quando a gravação, disponível na internet, foi descoberta por colegas de classe, Noel relatou ter sido vítima de bullying.

Prestes a se graduar no colégio Cocoa, no condado de Brevard, na Flórida (EUA), o jovem Sean "Noel" Cody alega ter sido impedido de se formar por ter participado de um filme pornô gay. As informações são do site The Daily Dot.

Quando a gravação, disponível na internet, foi descoberta por colegas de classe, Noel relatou ter sido vítima de bullying. A escola, ao invés de protegê-lo, suspendeu o estudante por dez dias por ter causado "distúrbio no campus".

O aluno já é maior de idade e, portanto, não há nada de ilegal em ter participado do vídeo. Por ter faltado forçadamente a dez dias de aula, ele quer processar a escola dizendo que as ausências o impediram de se formar, não passando nas provas finais.

Por meio das mídias sociais, jovens ao redor de todo o país planejam protestos e enviam mensagens de apoio a Noel.

"Muitos estão do nosso lado e demonstram apoio com camisetas, pôsteres e faltando a aulas. Dói saber que familiares e amigos pensam que ele é doente e tem algum distúrbio por ter feito um filme pornô gay", escreveu um usário da rede Reddit que se identifica como primo do estudante.

Fonte: Terra