EUA: homem atira em filho por não gostar de ouvi-lo no karaokê

EUA: homem atira em filho por não gostar de ouvi-lo no karaokê

William Henry Oller Sr. teria se irritado por não suportar ouvir o filho cantar músicas country no karaokê

Um homem foi acusado de tentar matar o próprio filho por não suportar ouvi-lo cantar músicas country no karaokê, no condado de Shasta, na Califórnia. William Henry Oller Sr., 70 anos, é julgado pelos crimes de tentativa de homicídio e agressão e pode ser condenado à prisão perpétua.

O detetive Caleb MacGregor testemunhou à corte na última terça-feira que o homem visitava o filho, William Carr Oller Jr., em janeiro deste ano, quando os dois começaram a discutir sobre a música. Em um momento, disse MacGregor, Oller Sr. saiu da casa dizendo "Eu vou calar a sua boca". Ele pegou uma pistola semiautomática no carro e apontou para o filho, que havia saído pela porta da frente.

Oller Jr. voltou para dentro da residência e trancou a porta, testemunhou o detetive. Depois, pensando que o pai havia ido embora, o homem abriu a porta - e ficou cara a cara com Oller Sr. e a arma. A briga continuou, durante a qual ambos foram baleados.

O advogado do pai, Aaron Williams, argumentou que não havia evidências de que os tiros foram intencionais, afirmando que, já que os dois homens foram baleados, o pai pode ter agido em legítima defesa. O filho foi à audiência e disse que, apesar de tudo, ele desejava ao pai "o melhor".

Fonte: Terra