Presidente boliviano, Evo Morales é acusado de engravidar filha menor de sua ministra

Presidente boliviano, Evo Morales é acusado de engravidar filha menor de sua ministra

Líder da oposição fez a denúncia em um programa de TV. A filha da ministra é menor de idade

O líder opositor boliviano Samuel Doria Medina reafirmou em um programa de TV que o presidente Evo Morales engravidou uma filha menor da ministra Nemesia Achacollo, em um escândalo que anima a Bolívia.

Doria Medina denunciou inicialmente no Twitter que Morales seria "pai com uma menor e que isto tinha implicações".

? Perguntem à mãe dela: Nemesia Achacollo.

Nesta quarta-feira, o ex-candidato à presidência e líder da Unidade Nacional (UN) confirmou na televisão que Evo Morales engravidou a filha da ministra Achacollo, mas que não lhe cabe apresentar as provas, e sim, à Justiça.

A acusação gerou uma severa reação de Achacollo, ministra do Desenvolvimento Rural e Terras:

? Não peço que se desculpe ou ao menos que se retrate [...], mas lhe advirto que neste país há leis e que existe a Justiça. Farei tudo ao meu alcance para que esta infâmia não fique impune.

? O que vai ser da minha filha, que está em casa atemorizada? ? perguntou Achacollo entre soluços ao lado de colegas do gabinete e membros do Congresso.

? O senhor Doria Medina: que fez a acusação, a infâmia, agora deve apresentar provas ?, disse Achacollo, que também é secretária executiva da Federação Nacional de Mulheres Camponesas da Bolívia.

Doria Medina "está querendo prejudicar a imagem do nosso presidente e para tal utiliza as mulheres, as crianças, mas estou aqui para enfrentá-lo, com as organizações sociais e as ministras aqui presentes".

O vice-presidente Alvaro García entrou na polêmica ao afirmar que "se o senhor Doria Medina fosse honesto, apresentaria as provas imediatamente ou pediria desculpas, se possível de joelhos, à senhora e à sua filha.

Morales, que não comentou o assunto, é pai de duas adolescentes que residem com suas respectivas mães, em Oruro (oeste) e Cochabamba (centro).

Fonte: r7