Exército sírio é acusado de matar 13 da mesma família; 6 eram crianças

A notícia das mortes veio à tona logo depois do acontecido, enquanto os confrontos entre rebeldes e tropas continuam na região.

O exército sírio matou 13 membros da mesma família, incluindo seis crianças, na vila de Bayda, na costa mediterrânea, disse o diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, Rami Abdel, neste domingo (21).

A notícia das mortes veio à tona logo depois do acontecido, enquanto os confrontos entre rebeldes e tropas continuam na região. "Três homens desarmados foram mortos a tiros foram de suas casas. Os homens da milícia então invadiram as casas e mataram as mulheres e crianças", disse Abdel.

Segundo ele, os relatos sobre como ocorreu a matança divergem. "Alguns dizem que eles foram mortos a tiros, enquanto outros afirmam que foram queimados vivos", disse. Nos dias 2 e 3 de maio, cerca de 300 pessoas foram massacradas em Banias e Bayda, de acordo com dados do Observatório. Banias foi uma das primeiras cidades onde se viu demonstrações pedindo pela saída do regime do presidente Bashar al-Assad. As informações são da Dow Jones Newswires.

Fonte: UOL