FAO pede US$700 milhões em doações para o Haiti

Governo haitiano elaborou um plano de 700 milhões de dólares para infraestrutura prejudicada pelo terremoto

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês) solicitou o apoio de doadores internacionais a um plano de investimento de 700 milhões de dólares no setor agrícola do Haiti, para ajudar na reconstrução do país após um devastador terremoto.

O terremoto de magnitude 7,0 que atingiu o Haiti no dia 12 de janeiro matou até 200 mil pessoas. Enquanto equipes de resgate internacionais vasculham os escombros na capital Porto Príncipe, esforços paralelos estão sendo feitos para reconstruir o país.

"A situação alimentar no Haiti já era muito frágil antes do terremoto e o Haiti é altamente dependente em importações de alimentos", disse em comunicado o diretor de respostas de emergência no Haiti da FAO, Alexander Jones.

"Com pessoas retornando às áreas rurais, o crescimento no setor agrícola do Haiti é agora uma prioridade urgente", disse Jones.

O governo haitiano elaborou um plano de 700 milhões de dólares nos próximos 18 meses para reconstruir a infraestrutura prejudicada pelo terremoto, impulsionar a produção nacional de alimentos e criar empregos para as pessoas que estão fugindo da capital, o que necessita do apoio de doadores, informou a FAO, sediada em Roma.

Quase 60 por cento dos haitianos viviam em áreas rurais antes do terremoto e 80 por cento da população sobrevivia com menos de 2 dólares por dia, segundo a agência.

O governo estima que cerca de 32 milhões de dólares seriam necessários urgentemente para comprar sementes, ferramentas e fertilizantes para que fazendeiros possam começar a plantar em março para o período de plantação na primavera, que representa 60 por cento da produção agrícola do Haiti.

Fonte: g1, www.g1.com.br