Filha mata os pais porque não queria contar que tirou notas baixas

Ela se confessou culpada e disse que "não via outras opções"

Desde muito jovem, Jennifer Pan era considerada "a garota de ouro" pelos próprios pais. Filha de imigrantes vietnamitas, ela tinha o que era considerada uma possível carreira brilhante no Canadá. Notas altas na escola, bolsa de estudos em uma escola de primeira e convite para faculdade dois anos antes das primeiras seleções.

Mas, após ela se formar e conseguir um emprego, uma série de mentiras em seu histórico acadêmico começou a surgir e o resultado foi um dos crimes mais hediondos da história de Toronto. Sempre fiel à vontade do pai, Jennifer se formou em Farmácia na Universidade de Toronto e não demorou para ela conseguir emprego em um hospital prestigiado na região.

Para que ela estudasse nos melhores colégios, os pais trabalharam dia e noite em uma fábrica de auto-peças local para juntar dinheiro. Ela era constantemente chamada de "menina de ouro" ou garota prodígio, por sua inteligência aparentemente sem limites. 

Mas a carreira de Jennifer logo se revelou uma farsa completa, e a menina uma mentirosa compulsiva. Tudo culminou com o assassinato brutal dos pais dela, encontrados mortos com requintes de crueldade. 

Ela contratou três pistoleiros para que fingissem assaltar a casa da família e matassem os pais. No meio do assalto, ela ainda ligou para a polícia informando o assalto desesperada. Demorou duas semanas para a polícia descobrir toda a farsa!

Ela logo foi presa e foram descobertas todas as farsas da carreira estudantil dela e a reação dos pais quanto a isso.O fato é que ela nunca havia se formado nem na escola, quanto mais na faculdade.

Foi incapaz de manter as boas notas após ser chamada para a Universidade de Toronto, segundo a polícia. Os pais só descobriram a farsa toda quando seguiram a filha quando ela ia para o trabalho e perceberam que ela não trabalhava lá de verdade.

Quando descobriram que as notas da filha não eram tão altas quanto eles exigiam (e ela se exigia), eles impuseram um castigo severo.  Nada de computador, saídas para namoro ou telefone celular, em uma época em que Jennifer era adulta!

Na época, ela falou com amigos que estava "em uma prisão domiciliar" sem possibilidade de sair. E aí começaram os planos para matar os pais. Inicialmente, ela pediu ajuda do namorado para contratar matadores que matariam os pais em uma simulação de assalto

Ela se confessou culpada e disse que "não via outras opções para mudar de vida e corresponder aos desejos dos pais"., disse. Junto com os comparsas, ela foi condenada à prisão perpétua.


Image title

Image title

Image title

Image title


Fonte: Com informações do R7