Filho de Romney diz ter sentido vontade de bater em Obama

Foi um debate cheio de acusações

O segundo debate presidencial antes da eleição nos Estados Unidos, realizado na inicio desta semana, foi um embate cheio de acusações, interrupções e divergências profundas. E o filho mais velho de Mitt Romney teve uma reação especialmente visceral. Tagg Romney disse que sua vontade era "pular de sua cadeira, correr para o palco do debate e socar" o presidente Barack Obama.


Filho de Romney diz ter sentido vontade de bater em Obama

Tagg estava respondendo a um apresentador de rádio da Carolina do Norte, que perguntou como ele se sentiu ao ouvir o presidente "chamar seu pai de mentiroso". Tagg Romney foi rápido em afirmar durante a entrevista que ele não estava falando em socar o presidente literalmente.

"A gente sabe que não é possível fazer isso", ele continuou, "porque, bom, primeiro porque há um monte de agentes do serviço secreto entre você e ele, mas também porque essa é a natureza do processo. Você sabe, eles vão fazer tudo o que puderem fazer para tentar transformar meu pai em alguém que ele não é. Mas nós nos dispusemos a isso. Nós temos que, tipo, ficar lá sentados olhando e soltar um soco no ar, para o outro lado".

As observações de Romney filho são um indicativo de como a campanha está sendo ferozmente travada nessas últimas semanas antes das eleições. Embora Tagg Romney, de 42 anos - o mais velho dos cinco filhos de Romney -, tenha assumido um papel de destaque na campanha do pai, e tenha até mesmo participado de uma "intervenção" familiar, o quadro que ele pintou por meio desses comentários descreve um jogador bem menos importante dentro do jogo eleitoral.

Uma porta-voz da campanha de Romney, Andrea Saul, disse: "ele estava brincando sobre o quão frustrante esse processo pode ser para a família" e, em uma aparição na TV, no programa "The View", outro filho Romney, Josh, também disse que Tagg não estava realmente falando sério.

"Todos os irmãos fizeram um pacto de não dar conselhos para nosso pai", disse Tagg Romney em entrevista a Bill LuMaye, da estação de rádio WPTF-AM, da Carolina do Norte. "Ele está recebendo tantos conselhos de tantos lados diferentes. Nosso papel é ir a público e falar em seu nome. E, quando estivermos com ele, devemos apenas deixá-lo relaxado e falar sobre qualquer outra coisa que não seja política para distraí-lo da eleição por um momento".

Durante o debate, o presidente não disse que Romney era um completo mentiroso, embora Obama tenha proferido frases ocasionais afirmando que "o que o governador Romney disse não é verdade" e "essa não é a verdade, governador Romney". Obama também disse que a matemática dos impostos de Romney "não faz sentido", acusou-o de ter um "plano de uma meta só" para favorecer os ricos e, em um momento especialmente quente do debate, pediu para que "pegassem a transcrição" depois de Romney negar que o presidente tivesse classificado o ataque em Benghazi, na Líbia, de ato terrorista.

Com a aproximação do debate final, na próxima segunda-feira (22), em Boca Raton, na Flórida, Tagg Romney mencionou como seu pai fica nervoso antes de subir ao palco. ?Ele fica apavorado antes de entrar em cena!?, disse ele antes de reformular rapidamente seu discurso. ?Apavorado é uma palavra forte demais. Mas você sabe, ele é como todo mundo ? ele fica com um pouco de frio na barriga?, afirmou ele. ?Mas após entrar no debate, em dois ou três minutos ele já esqueceu o nervosismo?.

Fonte: UOL