Fraudador que "não podia andar" é pego trabalhando como motorista

Patrick Wildman, 47 anos, chegou a embolsar mais de R$ 80 mil durante sete anos e meio em que conseguiu manter a farsa.

Um britânico quis se aproveitar dos benefícios oferecidos aos deficientes físicos em seu país e fingiu que não podia andar. Mas ele foi filmado secretamente enquanto trabalhava como motorista de entrega, segundo o jornal britânico Daily Mail.


Fraudador que

Patrick Wildman, 47 anos, chegou a embolsar mais de R$ 80 mil durante sete anos e meio em que conseguiu manter a farsa.

Sempre com uma cadeira de rodas, ele afirmava ao Departamento de Trabalho e Pensões que tinha uma dor constante na perna e não podia andar sem a ajuda de uma bengala ou de alguém. Ele foi condenado a cerca de 9 meses de prisão.

Segundo seu advogado, Wildman estava em uma cadeira de rodas porque sua condição médica piorou. Mas ele não conseguiu convencer o juiz. "Durante um período de cerca de sete anos e meio, você continuou a receber benefícios aos quais não tinha direito, porque, de fato, a sua saúde não foi como você estava retratando. Você recebeu R$ 80 mil dos contribuintes de forma errada?, afirmou o juiz Paul Darlow.

Fonte: Época