Muçulmana fugitiva n° 1 da Interpol deixa "código de conduta de terror"

Muçulmana fugitiva n° 1 da Interpol deixa "código de conduta de terror"

A mulher mais procurada do mundo deixou um diário com diretrizes para seus

Desde 2011 Samantha Lewthwaite é procurada pela conspiração e autoria de um bombardeamento de resorts de luxo no Quênia. Suspeita-se também que ela foi a responsável por um ataque ao shopping de Nairóbi, em setembro, no qual matou mais de 70 pessoas. Após ter seu nome ligado ao grupo terrorista al-Shabaab, a britânica (que se converteu ao islamismo quando casou com um muçulmano) passou a ser objeto de uma caçada internacional por mais de 200 países e tornou-se a nº 1 na lista da Interpol de pessoas mais procuradas do mundo.

Em investigação feita pela polícia internacional num antigo imóvel alugado por Samantha em Nairóbi em 2011, foi descoberto um computador com um poema de amor para Osama bin Laden (clique aqui para ver a notícia). Agora, novos vestígios de Samantha, conhecida também como ?viúva branca?, começam a ser divulgados pela imprensa internacional: um cartão de vacinação falsificado, um dicionário bilíngue, fotos dos quatro filhos em julho de 2010, um texto religioso e cinco páginas de um manuscrito, descrito como ?diário da morte?. Neste último, ela apresenta o que chama de ?código de conduta aterrorizante para seus ?guerreiros sagrados?? (como ela os descreve). O diário foi encontrado entre os pertences do homem-bomba Hassan Omondi em um esconderijo do grupo al-Shabaab no Quênia. No livro, ditado por Samantha e escrito por um outro membro da equipe, ela dá as diretrizes de como eles devem agir.

?Elemento surpresa - Você precisa disto para conseguir a vitória?, diz o título. "Surpreender o inimigo é a metade da guerra. Esta surpresa é um resultado da inteligência adequada". O código de conduta destaca sete qualidades que cada soldado deve ter: lealdade, dever, respeito, abnegação, honra, integridade e coragem. Em contrapartida, outro ponto do diário encoraja seus discípulos a tratar os outros com dignidade e respeito. Informa ainda que qualquer trabalho realizado deve ser baseado em inteligência forte, caso contrário ele irá falhar.

"O diário é um livro de morte e destruição. A meta da comunidade é trabalhar dia e noite para encontrar Lewthwaite e trazer um fim a seu império do mal", disse uma fonte para o jornal ?Mirror?, responsável por divulgar as pistas encontradas. Segundo a publicação, no computador de Samantha foi descoberto que ela passou oito anos pesquisando fabricação de bombas e procurando os produtos químicos mortais utilizados para tornar os dispositivos explosivos improvisados. Nas pistas encontradas ficou claro também que ela já está treinando os filhos para seguir seus passos e que o grupo kuffar (não-muçulmanos) precisa ser exterminado. Acredita-se que Samantha esteja escondida na Tanzânia ou Somália. Mas, até o momento, nenhuma pista levou a Interpol a encontrá-la.

Fonte: G1