Gravação revela que Michael Jackson já estava doente

O promotor do caso reproduziu a gravação, datada de 20 de junho de 2009.


Gravação revela que Michael Jackson já estava doente

Uma mensagem de voz recuperada do iPhone de Conrad Murray, que está sendo julgado pela morte de Michael Jackon - ele é acusado de homicídio culposo, quando não há intenção de matar - foi o ponto alto do sétimo dia do julgamento do médico, nesta quarta-feira, 5, em um tribunal em Los Angeles.

Durante o depoimento de Stephen Marx, perito que examinou o telefone de Murray, o promotor do caso reproduziu a gravação, datada de 20 de junho de 2009.

Na mensagem, Frank DiLeo, empresário do cantor, se refere a um "episódio" envolvendo Jackson cinco dias antes de sua morte. "Estou certo de que você está consciente de que Michael teve um episódio noite passada", diz Frank na mensagem.

Na gravação, Frank ainda fala: "Ele está doente. Você tem de submetê-lo a um exame de sangue."

Também durante o depoimento de Marx, o promotor do caso, David Walgren, reproduziu outro áudio recuperado do telefone de Conrad Murray. Nele é possível ouvir Michael Jackson alterado e emocionado falar que iria dedicar a turnê "This Is It" a seus filhos, Prince, Paris e Blanket. "Eu os amo porque não tive infância", declarou o popstar na gravação.

De acordo com o promotor, Murray gravou o depoimento em seu telefone em 10 de maio de 2009. A certa altura, Murray pergunta a Michael se está tudo bem e o cantor responde: "Estou com sono".

Propofol no chão

Depois da pausa para o almoço, foi a vez de Elissa Fleak, legista que primeiro examinou o corpo de Michael Jackson, depois de declarada sua morte, no Hospital da Universidade da Califórnia. É dela a fotografia do cantor morto, em uma maca, exibida no primeiro dia de julgamento. A imagem foi exibida, mais uma vez, no tribunal.

Elissa também esteve no quarto do cantor em sua casa e encontrou no chão um frasco de Propofol. Michael morreu por causa de uma overdose desse forte anestésico.

Fonte: EGO