Grávida atravessa teto em queda de 3 metros e dá à luz horas depois

Grávida atravessa teto em queda de 3 metros e dá à luz horas depois

Jo Tointon e o marido faziam reformas na casa quando ela sofreu queda; bebê nasceu de cesariana.

Uma britânica de 37 anos grávida de quase nove meses sofreu uma queda de três metros de altura atravessando o teto de sua casa e deu à luz horas depois.

Jo Tointon e o marido, David, moravam na casa onde ocorreu o acidente, em Nottingham, na região central da Inglaterra, há apenas dois meses e faziam reformas no banheiro justamente para receber o bebê.

"Havia apenas o reboco e vigas, devo ter colocado o pé no lugar errado e caí na cozinha", disse Tointon.

Ela atravessou o teto e foi parar no andar inferior da casa.

Logo depois da queda, a britânica sentiu que estava entrando em trabalho de parto.

Ela foi levada pela ambulância para o hospital local e deu à luz a um menino, chamado Eddy Austin, que nasceu horas depois, por cesariana, pesando pouco mais de dois quilos.

Queda amortecida

Tointon afirma que sua queda foi amortecida. Ela sentiu os pés batendo em um balcão na cozinha e então foi para o chão.

"Acho que isto me salvou, pois interrompeu a queda", disse. "Pensei que tinha quebrado minha coluna, não conseguia me mover, mas eu estava apenas com falta de ar."

Ela foi encontrada no chão por outro filho, Ollie, de dois anos, e pelo pai, Nigel Baxter, de 64, que estava no banheiro com ela no momento da queda.

"Pensei o pior quando ela desapareceu (caindo pelo) chão, que ela podia ter ficado paralisada ou até morrido", disse Baxter.

David Tointon, o marido, foi chamado de volta para casa e, quando chegou, viu a ambulância levando a mulher já em trabalho de parto.

"Tentei acalmá-la, mas era muito preocupante", disse.

A queda resultou apenas em ferimentos leves para Tointon, mas ela temia pelo filho.

"O paramédico perguntou se eu estava sangrando. Eu achei que não estava, mas, quando me movi, senti algo e eu sabia que era sangue e (se fosse) eu estaria perdendo o bebê, ou minha bolsa teria rompido", contou a britânica.

"Eles tinham que me examinar antes de examinar meu bebê, e pareceu que demorou muito antes de eles checarem o batimento cardíaco (do bebê)."

Eddy nasceu no dia 1º de junho e ainda está no hospital, devido a um problema no pulmão. Mas a saúde da criança está melhorando.

"Naquele momento não percebi o quanto cheguei perto de perdê-lo, mas ele estava ficando mais forte a cada dia", disse Tointon.

Fonte: G1