Holandesa acusada pela morte de três bebês

Holandesa acusada pela morte de três bebês

Polícia encontrado quatro maletas no sótão da casa com restos mortais

A polícia holandesa disse nesta sexta-feira (6) que prendeu uma mulher de 25 anos sob suspeita de matar ao menos três de seus bebês durante um período de oito anos, semelhante a um caso ocorrido na França no mês passado.

A polícia informou ter vasculhado a casa da mulher, num vilarejo rural na região norte do país, e encontrado quatro maletas no sótão, das quais três continham restos mortais de bebês. Ainda não se sabe o que está dentro da quarta maleta.

A polícia afirma que suspeitas foram levantadas quando um morador alertou a polícia, dizendo haver incertezas sobre os nascimentos. A mulher havia dito que entregou os filhos para a adoção, mas depois confessou ter colocado os corpos nas malas.

"Ela não conseguiu dar uma explicação plausível sobre os casos de gravidez e os bebês que haviam nascido. Ela então foi presa no dia 4 de agosto sob orientação de um promotor público como suspeita, e a busca foi realizada na casa dela", disse o representante da polícia Wim van Essen em coletiva de imprensa.

Ainda não está claro se os bebês nasceram vivos, disse a promotora de Leeuwarden Annette Bronsvoort na mesma coletiva, realizada no tribunal de Leeuwarden

"É terrível. O vilarejo está em choque", disse um morador de Nij Beets, cerca de 140 quilômetros a nordeste de Amsterdã, que não quis ser identificado. "A mulher é muito conhecida no vilarejo", ele acrescentou por telefone.

O representante da polícia afirmou que os pais da mulher, que moram na mesma casa, haviam se mudado de lá enquanto a busca policial continuava. Eles dizem que não sabiam dos casos de gravidez e, segundo a polícia, não são suspeitos no caso.

No mês passado, uma francesa de 47 anos confessou ter sufocado oito de seus bebês recém-nascidos e ter escondido seus corpos.

Em 2006, uma holandesa foi condenada à prisão e ao tratamento psicológico depois de ter afogado quatro de seus bebês depois de terem nascido.

Fonte: g1, www.g1.com.br