Homem mata ex um ano após flagrá-la na cama com vizinho

Homem mata ex um ano após flagrá-la na cama com vizinho

Após o ataque do ex, Lori foi levada a um hospital, mas não resistiu.

Um norte-americano matou a tiros sua ex-mulher e feriu a ex-sogra um mês após a separação. O casamento de Scott Gellatly, de 46 anos, e Lori Gellatly, de 32, terminou meses depois de ele flagrar a mulher na cama com um vizinho. Eles tinham dois filhos gêmeos de um ano e meio e criavam dois meninos do casamento anterior de Scott. Lori morava com a mãe em Oxford, Connecticut, desde o fim do relacionamento. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Após o ataque do ex, Lori foi levada a um hospital, mas não resistiu. Merry Jackson, de 63 anos, ainda está em estado grave devido aos ferimentos. A polícia rapidamente iniciou uma caçada pelo atirador na pequena cidade. Ele foi localizado em um caminhão em um estacionamento abandonado na manhã desta quarta-feira. Segundo o jornal local Hartford Courant, ele tinha um cano de escape dentro da cabine do veículo, numa possível tentativa de tirar a própria vida.

Em abril, Scott postou algumas mensagens em sua página no Facebook explicando a separação. Ele flagrou a mulher em julho do ano passado no meio de uma relação sexual com um vizinho deles, mas não falou nada na hora. ?Eu vou até a porta e, no canto, está a Lori e X., nosso vizinho, que também é casado. Ele estava por trás dela?, disse. Depois do flagra, ele esperou que Lori confessasse a traição, mas como ela nunca disse nada, Scott decidiu confrontá-la.

Os dois chegaram a fazer terapia de casal, mas, há cerca de um mês, Lori decidiu que não estava feliz no relacionamento e saiu de casa levando os gêmeos. ?É tão triste que uma mulher possa tomar uma decisão e mudar a vida da família toda?, escreveu ele, em 22 de abril. ?Tudo devido a um caso bobo. Que pena. Como uma mãe pode tomar uma decisão dessas e arruinar tudo? Por que? Por que??, questionou.

Em 24 de abril, ela deu entrada em uma ordem judicial para manter seu ex-marido afastado, alegando que ele tinha ameaçado agredi-la e gritado com ela algumas semanas antes. Infelizmente, a medida não foi suficiente para protegê-la. ?Ele age de forma muito violenta e eu temo pelos meus filhos e por mim mesma?, escreveu Lori, no pedido da ordem judicial.

Fonte: Extra