Homem tem rosto e rins destruídos após picada de aranha

Orlando estava usando o vaso quando o animal caiu em cima dele

Um homem está lutando para sobreviver em um quarto de hospital depois de ser picado pelaaranha mais venenosa do mundo em um banheiro, no Peru.

Orlando Jimenez, de 31 anos, teve falência do fígado e dos rins por causa das toxinas do veneno do animal, que também destruiu sua pálpebra, olho e orelhas, que começaram a apodrecer rapidamente.

Os pais de Orlando estão pagando uma média de R$ 820 por dia em tratamentos de diálise,transfusão e medicamentos. Eles criaram uma página no Facebook em que pedem ajuda financeira para continuar cuidando do filho doente.

Felicitas Maria Jimenez, mãe do rapaz, conta que a aranha caiu em cima de Orlando, e logo mordeu seu lóbulo esquerdo. Em poucos minutos, segundo ela explicou em entrevista ao jornal Daily Mail, seu corpo entrou em colapso, e ele foi levado às pressas a uma unidade de saúde local para receber o antídoto.

Como seu estado de saúde piorou, Orlando foi transferido para a UTI poucos dias depois. Os médicos acreditam que ele tenha sido picado por uma espécie-violino (recluse spider, em inglês), uma das mais mortais do mundo.

Seu veneno é capaz de causar severas reações alérgicas, e até mesmo a morte. Em novembro de 2014, um garoto de cinco anos, morador do Alabama (EUA), morreu depois de ser mordido por um animal da mesma espécie. Um mês antes, outro menino, este de 10 anos, também não resistiu à picada de uma aranha semelhante que levou na perna.

Em  setembro passado, o inglês Jonathon Hogg quase perdeu a perna depois de também ser atacado por uma aranha da espécie aranha-violino. As dores surgiram quando ele estava em um avião em direção à África do Sul. Quando chegou ao hospital, sua perna estava preta, e, para salvar o membro, os médicos precisaram amputar um grande pedaço dele, onde a aranha tinha espalhado seu veneno. Hoje, há um enorme buraco na perna de Jonathon — mas ele, pelo menos, está vivo e saudável.

— A dor era diferente de tudo que eu já tinha sentido na minha vida. Quando cheguei  ao hospital, minha perna estava em carne viva, aberta, com pus e completamente preta. Estava tudo muito feio. Eles me disseram que, se eu tivesse demorado só mais alguns minutos, eu teria perdido a perna e talvez até morrido. Foi terrível.

Image title

Image title

Image title

Fonte: R7