Homem vai para emergência com pá entalada no ânus; vídeo

Homem vai para emergência com pá entalada no ânus; vídeo

No entanto, nos dias atuais, isso também acontece, mas por acidentes. E foi o que aconteceu com um paciente levado à emergência de um hospital em Ohio

Você sabe o que é estar empalado? Nos tempos antigos, havia um tipo de ato de tortura que consistia em inserir uma estaca ou mastro pelo ânus, vagina ou umbigo até a morte do torturado. Algo muito cruel e que gerava dores terríveis.

No entanto, nos dias atuais, isso também acontece, mas por acidentes. E foi o que aconteceu com um paciente levado à emergência de um hospital em Ohio.

Antes que vocês pensem besteira, na verdade o homem estava fazendo um conserto em um telhado e caiu de lá. Por um azar absurdo, ele caiu de uma grande altura sobre uma pá, que ficou cravada em seu corpo atingindo até os seus órgãos internos.

Esse caso, divulgado no The Huffington Post, é mostrado em um novo episódio de um programa sobre casos bizarros que acontecem nas salas de emergência nos Estados Unidos, exibido pelo canal norte-americano Discovery Fit & Health.

No programa (que faz uma reconstituição do caso, mas sem o paciente verdadeiro), o médico que atendeu o rapaz, Dr. Kevin Klauer, disse que esse é o tipo de atendimento que nenhum especialista é treinado para fazer, mas eles têm que trabalhar como uma equipe. Ele contou também que o homem gritava de dor, afinal estava com o cabo de uma pá cravado em seu ânus.

Porém, ao examinar melhor, o doutor constatou que o problema era pior: a pá estava inserida no períneo, a área de pele entre o ânus e o escroto, e imaginou que as lesões seriam muito piores e ele poderia sangrar até a morte. O médico e sua equipe então fizeram uma radiografia do paciente, que mostrou que, ao menos, a pá não havia acertado a coluna.

Mas eles ainda precisavam de mais exames para verificar se órgãos como os rins e o fígado não haviam sido atingidos. Logo, o paciente foi para a cirurgia para a retirada do instrumento. Segundo o médico Kevin Klauer, o procedimento durou horas para remover o cabo e para reconstruir algumas lesões.

Depois da cirurgia, o paciente se recuperou, mas seu nome não foi revelado por razões de privacidade médica. Mas sabe-se que, após essa ocorrência, o homem chamou alguns profissionais para cuidar do seu telhado. Melhor não arriscar.

Clique e Curta Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: The Huffington Post