Igreja precisa de reformas após escândalo de abusos, diz papa

Devemos aceitar essa humilhação como uma exortação à verdade", disse.

O papa Bento XVI pediu nesta segunda-feira (20) que a Igreja Católica reexamine suas mensagens e práticas, para que aprenda com o escândalo de abusos sexuais de crianças cometidos por padres.

Ao declarar seus votos de Natal aos cardeais, o papa afirmou que os casos de abusos em uma escala "inimaginável" foram um choque devastador para a Igreja, e que deveriam ser usados como ponto de partida para uma reforma.

"Devemos aceitar essa humilhação como uma exortação à verdade e um chamado à renovação. Apenas a verdade salva", disse o papa, de acordo com texto em italiano divulgado pelo Vaticano.

"Devemos nos perguntar quais foram os erros na nossa mensagem, em todo o nosso método do Cristianismo, para que essas coisas acontecessem. Devemos no esforçar para fazermos o máximo possível na preparação do sacerdócio, para que essas coisas não acontecem mais", acrescentou.

Neste ano o papa já pediu perdão pelo escândalo que abalou a Igreja Católica e levou à realização de vários protestos ao redor do mundo, mas ainda há muitos pedidos de grupos representantes das vítimas dos abusos para que a Igreja tome mais medidas.



Em seu discurso aos cardeais, o papa disse que a Igreja deve aceitar suas responsabilidades pelos pecados cometidos pelos padres.

"Mas não podemos nos silenciar no contexto dos tempos em que testemunhamos esses acontecimentos", disse. "Existe um mercado de pornografia infantil que em certo sentido parece ser considerado pela sociedade cada vez mais como algo normal."

"A devastação psicológica das crianças, em que pessoas são reduzidas a objetos de mercado, é um sinal devastador dos tempos."

O papa acrescentou que há crescentes informações passadas por bispos sobre turismo sexual no 3o Mundo, que ameaçam uma geração inteira.

Fonte: g1, www.g1.com.br