Incêndio em fábrica de roupas mata ao menos nove em Bangladesh; veja

As chamas começaram ontem durante a tarde na fábrica Aswad Composite Mills, na cidade de Sripur.

Ao menos nove pessoas morreram e outras 50 ficaram feridas devido a um incêndio em uma confecção no distrito de Gazipur, perto de Daca, capital de Bangladesh, informou nesta quarta-feira uma fonte policial.



As chamas começaram ontem durante a tarde na fábrica Aswad Composite Mills, na cidade de Sripur, e os bombeiros só conseguiram controlar o incêndio muitas horas depois, somente depois da meia-noite local.

Um responsável policial da região, Amir Hosain, disse ao jornal "The Daily Star" que, entre os mortos, estão o gerente da fábrica e dois técnicos, enquanto os outros corpos ainda não foram identificados, mas são provavelmente de funcionários da confecção.

De acordo com um encarregado da fábrica citado pelo site de notícias "Bdnews24", o incêndio começou no primeiro andar e acabou se propagando para o restante do edifício.

No momento do acidente, havia cerca de 170 funcionários no interior da fábrica, explicou ao "The Daily Star" o diretor da companhia proprietária da confecção, Emdad Hosain, que acrescentou que "quase todos conseguiram sair".

Hosain prometeu 30 mil takas (US$ 384) de indenização para as famílias dos mortos no incêndio e para pagar os funerais. Este incidente é o último de uma longa série no setor da indústria têxtil de Bangladesh durante o último ano.

A série teve início em novembro com um terrível incêndio na fábrica Tazreen Fashion, nos arredores de Daca, onde morreram 124 trabalhadores; nos meses seguintes ocorreram pelo menos outros dois incêndios com um número de vítimas similar ao de ontem.

No entanto, o maior incêndio aconteceu em abril na cidade de Savar, também próxima da capital, onde 1.127 pessoas morreram e 2.438 ficaram feridas após o desmoronamento de um edifício de nove andares com cinco confecções.

Depois desse fato, considerado como a pior tragédia industrial de Bangladesh, o governo e companhias multinacionais ocidentais tomaram algumas medidas para melhorar a situação dos trabalhadores.

Em julho, o Parlamento de Bangladesh aprovou uma emenda à lei trabalhista permitindo aos funcionários a filiação sindical e a criação de um fundo de assistência para melhorar a qualidade de vida dos mesmos.

Naquele mesmo mês, cerca de setenta empresas multinacionais assinaram um acordo para aumentar a supervisão e a segurança nas confecções.

O setor têxtil viveu um crescimento exponencial na última década em Bangladesh, representa atualmente 79% das exportações do país (US$ 21,5 bilhões) e conta com 5,4 mil fábricas e mais de 4 milhões de trabalhadores.

Fonte: UOL