Integrante do grupo de mulheres que protestam seminuas é espancado e recebe várias ameaças

Integrante do grupo de mulheres que protestam seminuas é espancado e recebe várias ameaças

Homem foi agredido e teve face deformada na sede do grupo em Kiev.

Um membro do grupo feminista de origem ucraniana Femen foi severamente agredido perto da sede do grupo em Kiev. O cientista político Viktor Svyatsky aparece com a face inchada e sangrando, além de ter os olhos roxos, em fotos divulgadas pelo Femen nesta quinta-feira (25).

"Eles me cercaram, gritaram frases como "agora é você, as meninas serão as próximas", e é tudo o que consigo me lembrar", declarou Viktor à televisão ucraniana. "Acredito que fui atingido na cabeça", acrescentou.

Segundo Svyatsky, quem o atacou prometeu que também agredirá as ativistas do grupo caso elas tentem impedir a celebração dos 1.025 anos do batismo de Kievan Rus, marcada para o sábado (27). As feministas costumam fazer protestos aparecendo seminuas e com os corpos pintados, promovendo ações em todo o mundo para denunciar principalmente o sexismo e as discriminações sofridas pelas mulheres.

Kievan Rus era uma antiga federação composta por tribos eslavas do Leste Europeu, e países da região ainda carregam sua herança cultural. O evento de sábado deve contar com a participação do presidente russo, Vladimir Putin, e do patriarca Kiril.

O Femen relatou em seu site a agressão. "Viktor foi levado ao hospital com o rosto destruído, com uma possível fratura no maxilar, dentes quebrados e com bastante sangue perdido", indicou um comunicado.

Segundo uma das líderes do movimento, Anna Goutsol, Viktor Sviatski foi agredido por dois homens desconhecidos. O Femen suspeita que os serviços especiais ucranianos, russos ou bielorrussos estejam por trás do ataque.

O movimento revelou que outros de seus membros foram ameaçados contra qualquer ação de protesto por ocasião da visita de Putin.

O grupo também manifesta contra a homofobia, a relação entre o Estado e a Igreja, os regimes autoritários e fraudes eleitorais, geralmente com suas integrantes fazendo topless.

Fonte: G1