Jornal: Filha mais velha é quem decidirá se aparelhos de Hugo Chavez serão desligados

Jornal: Filha mais velha é quem decidirá se aparelhos de Hugo Chavez serão desligados

O jornal ABC, da Espanha, vem divulgando informações inéditas do estado de saúde do presidente.

Adan Chávez, irmão do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ontem viajou a Havana para visitá-lo na clínica onde ele permanece internado desde sua operação em 11 de dezembro. Uma visita que analistas interpretaram como um último adeus a seu irmão mais novo Adão. Ao lado da cama, inseparável desde o início do tratamento, estar sua filha Rosa Virginia, que por razões legais é quem deve tomar as decisões que afetam o futuro de seu pai e presidente, incluindo uma possível desconexão da máquina que o mantém vivo artificialmente.

A partir do dia 10 de Dezembro, todas as decisões legais políticas, sociais, econômicas, familiares e até mesmo sentimental foram transferidas para Cuba. Mas o presidente não é capaz - em coma - de lidar com tantas responsabilidades, presentes e futuros, como de sua posse em 10 de janeiro para o quarto mandato (2013-19), que ganhou de forma justa em 7 de outubro.

Toda a sua família estendida: seus pais, quatro filhos reconhecidos publicamente, seis irmãos e uma longa lista de tios e tias, sobrinhos queria dizer ?Olá? e adeus, antecipando o pior. Mas não conseguiram. Apenas o vice-presidente e ministro das Relações Exteriores, Nicolas Maduro, puderam segurar a mão dele.

Na cabeça do Chefe de Estado continua sua filha mais velha Virginia Rosa e seu marido, o ministro da Ciência e Tecnologia, Jorge Arreaza. Para clínicas legais Rosa Virginia cai para tomar as grandes decisões sobre a saúde do presidente e, eventualmente, de desligar a máquina que o mantém vivo artificialmente.

O filho Arreaza escreveu ontem em seu Twitter que "a equipe médica explica que a condição do presidente Chávez permanece estável dentro de sua situação delicada?. Hoje, no entanto, o governo da Venezuela noticiou que o presidente está sofrendo de "complicações" causadas por "uma infecção pulmonar grave" desenvolvida após uma cirurgia, segundo o governo.

Em um pronunciamento feito em Caracas, o ministro da Informação, Ernesto Villegas, afirmou que a infecção "levou (Chávez) a um quadro de insuficiência respiratória".

Fonte: Jornal ABC