Juíz permite que molestador de crianças ainda use redes sociais como Facebook

Mason disse que o réu é um "inteligente, porém confuso jovem" que já perdera sua vaga na faculdade por causa de seus crimes


Juíz permite que molestador de crianças ainda use redes sociais como Facebook

Um adolescente que usou o Facebook para encontrar garotos, e os molestar posteriormente, ainda poderá continuar a usar sites de redes sociais, segundo a determinação de um Juíz neste final de semana. Callum Dower, de 19 anos, usou o site para incentivar jovens a enviar fotos suas nuas.

Caso os garotos não o fizessem, ele enviava fotos de uma garota para consegui-las. Ele molestou um menino em um banheiro de supermercado, e outro em seu carro. O Juíz Graham Jones Hume condenou Dower a trabalhos comunitátios por três anos por pedofilia e ofensas pornográficas.

No entanto, ele concordou com a alegação do advogado de defesa, Patrick Mason, de que a proibição do uso em sites de redes sociais seria "particularmente excessivo". Dower admitiu as seis acusações de produzir imagens indecentes de uma criança, cinco acusações de causar ou incitar uma criança a participar de pornografia e duas acusações de atividade sexual com uma criança.

Dower tinha 17 e 18 anos quando realizou os crimes. Ele usou o Facebook para entrar em contato com meninos de 14 anos, usando nomes como "Georgina", "Georgia", "Georgie" e "Jade". Ele foi descoberto quando um rapaz começou a suspeitar de que duas imagens enviadas por ele pareciam ser de duas meninas diferentes.

Mason disse que o réu é um "inteligente, porém confuso jovem" que já perdera sua vaga na faculdade por causa de seus crimes. "Seus crimes, em alguns aspectos, não são diferentes do que outros jovens fazem com seus celulares em redes sociais". "Ele tem o hábito de falar com jovens que compartilham suas preferências sexuais, pedindo-lhes fotos. Quando isso acontece, ele não sabia que a idade de consentimento para pedir fotografias é de 18 anos", disse. O advogado de defesa acrescentou que os dois jovens de 14 anos molestados por Dower consentiram com a atividade, embora ambos fossem menores de idade.

O Juiz Jones Dower o proibiu de trabalhar com crianças e ordenou assinar o registro de criminoso sexual por cinco anos. Dower também será etiquetado eletronicamente e colocado sob um toque de recolher de 12 horas durante a noite por três meses. Ele ainda declarou que Dower foi "extremamente manipulador a fim de cumprir a sua necessidades sexuais".

Um porta-voz disse pelo Facebook disse que, apesar da decisão do Juíz, o perfil de Dower será excluído: "as regras do Facebook proíbem criminosos sexuais condenados de usarem o site".

Fonte: techtudo.com.br