Justiça não aceita pedido de fiança e atleta acusado de matar a namorada segue na cadeia

Justiça não aceita pedido de fiança e atleta acusado de matar a namorada segue na cadeia

Atleta paralímpico chora muito durante a sessão em que foi acusado de assassinato

A Justiça de Pretória não aceitou, na manhã desta sexta-feira, o pedido de fiança feito pelo advogado de Oscar Pistorius. Com isso, a estrela paralímpica, que estava sob custódia da polícia e passou a última noite na prisão, segue atrás das grades pelo menos até terça-feira, quando uma nova sessão deve acontecer no tribunal após a defesa analisar as provas das investigações pela morte da modelo Reeva Steenkamp em liberdade e apresentar um novo pedido de fiança. A decisão foi do juiz Desmond Nair, que considerou aceitável a alegação da promotoria para que fosse mantida a prisão preventiva e destacou o fato de que o atleta está sendo acusado de "assassinato premeditado". Oscar Pistorius vai ser mantido na delegacia de Brooklyn até terça-feira.

Durante a sessão, Oscar Pistorius chorou por vários momentos. Ele estava vestido de terno e ficou a maior parte do tempo com a cabeça baixa na primeira fileira do tribunal. O momento mais tenso foi quando a promotoria o chamou de "assassino" e falou que o crime foi premeditado. O atleta chorou bastante e precisou ser consolado pelo seu pai, que colocou a mão em suas costas. A arma do crime - uma pistola 9mm registrado em nome do atleta - foi apresentada no tribunal.

Foi uma sessão tumultuada, com muitos jornalistas e autoridades no local. O pai, o irmão e a irmã de Oscar Pistorius acompanharam o julgamento. Os promotores Gerrie Nel e Andrea Johnson afirmaram que o estado era contra a fiança e pediram o adiamento da sessão por sete dias até que as investigações preliminares fossem concluídas. E acusaram formalmente o atleta pela morte de Reeva Steenkamp.

Durante a sessão, o advogado de Oscar Pistorius pediu a saída da imprensa do local alegando que o seu cliente estava em um "estado extremo de nervosismo". O juiz Desmond Nair ordenou, então, que as emissoras de TV não poderiam gravar imagens e os fotógrafos só poderiam fazer imagens após o fim do julgamento. Mas foi permitido registrar o áudio de toda a sessão.

Após anunciar a decisão, o juiz Desmond Nair garantiu que Oscar Pistorius não vai receber nenhum tratamento preferencial. A família do atleta deixou o tribunal em silêncio. E ele ficou o tempo inteiro com a cabeça baixo enquanto era levado novamente para a delegacia.



Fonte: g1.com.br