Lula condena ataque de Israel contra comboio de navios

Lula condena ataque de Israel contra comboio de navios

""Eu sinceramente estou convencido de que não é o uso de armas que vai garantir a paz""

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou nesta terça-feira (1º) o ataque de tropas de Israel em águas internacionais contra um comboio de navios de ajuda humanitária aos palestinos.

"O diálogo é a melhor forma de resolver os conflitos, não atirando como Israel atirou ontem em um barco turco que ia levar comida para Faixa de Gaza, um barco que estava em águas internacionais", disse Lula durante o discurso realizado em visita à fábrica da Volks no ABC.

Em conversa com jornalistas após o evento, o presidente voltou a criticar a abordagem militar que resultou na morte de ao menos 9 pessoas. "Obviamente o presidente da República tem que ter todas as informações necessárias para poder se pronunciar. As informações são de que o bombardeio foi feito em águas internacionais e que, portanto, Israel não tinha direito de ter feito o que fez. Vamos esperar que haja melhores investigações", disse.

saiba mais

"Eu sinceramente estou convencido de que não é o uso de armas que vai garantir a paz. O que vai garantir a paz é muito diálogo, muito investimento em comida para acabar com a fome dos países mais pobres do mundo. Acho que os dirigentes precisam aprender a dialogar mais", afirmou o presidente.

Na segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, também já havia manifestado a posição do Brasil contrária à ação militar.

A ativista brasileira Iara Lee estava no navia atacado. Em entrevista por telefone ao correpondente da TV Globo Ari Peixoto, ela disse que os ativistas já esperavam alguma confrontação com tropas de Israel que queriam impedir a chegada da ajuda humanitária a Gaza, mas não quando ainda estavam em águas internacionais. "Eles entraram e começaram a atirar nas pessoas."

Ataque de Israel

O governo de Israel acusa os passageiros da "Frota da Libertade" de terem começado a violência, mas a versão contestada pelos ativistas. A ação aconteceu por volta das 5h locais (23h de domingo em Brasília).

A Frota da Liberdade, interceptada nesta segunda-feira (31), é um comboio de seis barcos fretados por várias organizações pró-palestinos, e que levaria ajuda à Faixa de Gaza. Eles partiram domingo de Chipre e rumaram para Gaza pelo Mediterrâneo.

Relações com Irã

Lula também falou durante o discurso para os funcionários da Volkswagen sobre as negociações para promover acordo nuclear entre o governo do Irã e os Estados Unidos.

De acordo com ele, na última reunião perguntou a todos os líderes, de Hu Jintao, presidente da China, a Barack Obama, presidente dos EUA, incuindo Angela Merkel, primeira-ministra da Alemanha, se já tinham conversado com o governo do Irã.

"Todo mundo falava mal do Irã, mas ninguém nunca tinha sentado no téte-à-téte. Depois de 18 horas de conversa, aquilo que os americanos não estavam conseguindo em 31 anos de negociações com o Irã, o Brasil e a Turquia alcançaram em 18 horas de conversa e o Irã resolveu sentar na mesa para conversar".

Fonte: g1, www.g1.com.br