Macaco se lava com urina para atrair a fêmea nos EUA

Macaco se lava com urina para atrair a fêmea nos EUA

Estudo realizado nos EUA mostra que prática dos capuchinos de esfregar urina na pele é tática

Um estudo recém-divulgado afirma que o hábito de macacos capuchinos de esfregar urina na pele é uma tática para atrair a fêmea da espécie. A pequisa divulgada na publicação especializada "American Journal of Primatology" mostrou que os cérebros de fêmeas dos capuchinos ficam mais ativos quando elas sentem o cheiro de urina de machos maduros sexualmente.

A conclusão dos autores do estudo é que os macacos passam a urina para atrair as fêmeas e mostrar que estão disponíveis.

""Como as fêmeas capuchinas quando estão férteis solicitam mais ativamente os machos, concluímos que o banho de urina por parte dos machos fornece a informação química que as fêmeas precisam a respeito de seu status sexual ou social"", disse à BBC a primatologista Kimberley Philips, da Trinity University, na cidade de San Antonio, nos Estados Unidos.

Vários símios, entre eles o bugios, macacos-esquilo e algumas espécies de macacos-prego, utilizam a prática de urinar na palma da mão e em seguida esfregam a urina nos pés e no traseiro.

Até então, cientistas especulavam sobre os possíveis motivos do ""banho de urina"" a que os macacos se submetiam. Entre as hipóteses levantadas estava a de manter a temperatura do corpo ou permitir que cada um se identificasse a partir do cheiro.

Cérebro

A pesquisa, afirma a primatologista, mostrou que ""quando solicitados pela fêmea, os adultos do sexo masculino aumentam o uso de "banhos de urina""".

A pesquisa realizada por Kimberley Philips e outros pesquisadores se valeu de scanners de ressonância magnética que acompanhavam a reação do cérebro das fêmeas e as modificações que eles sofriam após elas farejarem a urnina dos machos adultos e mais jovens.

Como os machos adultos são sexualmente maduros, eles expelem uma maior concentração de hormônio masculino testosterona em sua urina. A concentração de testosterona também está ligada ao status social do animal. Machos com status mais elevado em comparação com os demais tendem a produzir mais testosterona.

""O cérebro da fêmea capuchina tende a reagir de maneira diferente em relação à urina dos adultos machos e à dos machos mais novos"", afirmou Kimberley Philips. ""Nós acreditamos que isso é usado como uma forma de comunicação para passar status social ou sexual.""

A pesquisadora disse ser surpreendente que os macacos capuchinos utilizam tais procedimentos, uma vez que a espécie não é conhecida por se comunicar através do olfato.

Fonte: g1, www.g1.com.br