Mãe de milionário brasileiro desaparecido diz que filho pode ter sofrido surto psicótico

Mãe de milionário brasileiro desaparecido diz que filho pode ter sofrido surto psicótico

Aguiar foi dado como desaparecido na quarta-feira, após seu barco vazio ter sido encontrado à deriva em uma praia de Fort Lauderdale

A mãe de Guma Aguiar, o milionário brasileiro desaparecido nos Estados Unidos, acredita que seu filho possa estar vivo e vagando pela região de Fort Lauderdale, na Flórida, após ter sofrido um surto psicótico.

Aguiar foi dado como desaparecido na quarta-feira, após seu barco vazio ter sido encontrado à deriva em uma praia de Fort Lauderdale. O telefone celular e a carteira do milionário foram encontrados no barco.

Aguiar tinha um histórico de problemas mentais e chegou a ser internado em um hospital psiquiátrico em 2010.

Em entrevista à rede de notícias CNN, sua mãe, Ellen Aguiar, afirmou que seu filho estava enfrentando ""uma tremenda pressão, que não cessava"".

O milionário, de 35 anos, tem uma fortuna avaliada em US$ 100 milhões (cerca de R$ 206,5 milhões) feita nos Estados Unidos com negócios em petróleo e gás natural. De origem judaica, ele ficou conhecido em Israel por seu trabalho filantrópico no país.

Ele é filho da americana Ellen e do artista plástico brasileiro Otto de Souza Aguiar, que morreu em 2006. O casal morava no Rio de Janeiro.

"Psicose"

Em uma petição feita por Ellen em um tribunal da Flórida, na qual faz uma solicitação para assumir o controle da fortuna do filho, ela diz que seu filho ""pode estar delirando, sofrendo de psicose ou ter desaparecido"".

No documento, ela afirma que ""o ausente desapareceu devido a um desequilíbrio mental, ou outro distúrbio mental, ou, alternativamente, desapareceu em circunstâncias que indicam que ele pode ter morrido, seja naturalmente, acidentalmente, ou nas mãos de outra pessoa."

Em uma entrevista à rede de TV ABC, Ellen Aguiar levantou até a possibilidade de que ele tenha sido sequestrado, mas ela se mostrou cética.

""Acredito em milagres e espero por um milagre. Mas penso que, realisticamente, o que aconteceu está bem claro. A maior possibilidade é de que ele tenha sido jogado do barco. O barco foi encontrado, mas não o corpo"", afirmou, na entrevista.

Fonte: UOL