Mãe mente que filho de nove anos tem câncer para poder arrecadar doações

Americana convenceu até o marido de que o menino era doente terminal.

Uma americana disse ao filho, de apenas nove anos, e a todos os seus vizinhos e amigos que a criança tinha câncer, mas tudo não passava de uma farsa. A mãe fez o menino acreditar que era um doente terminal para arrecadar doações para o tratamento da criança. Segundo a polícia, ela chegou a receber cerca de 2.000 dólares (o equivalente a R$ 4.000).


Mãe mente que filho de nove anos tem câncer para arrecadar doações

Susan Stillwaggon, de 35 anos, enganou o filho, Nick, e toda a comunidade de Pennsauken, nos Estados Unidos, fazendo-os acreditar que o menino estava seriamente doente, segundo informações do New York Post.

Até mesmo seu marido, um caminhoneiro identificado apenas como Chuck, acreditava que seu filho estava morrendo de câncer desde o mês de fevereiro. Chuck chegava a sua casa diariamente, após o trabalho, e Susan mostrava listas de médicos com quem o filho supostamente havia se consultado, mas muitos desses nomes eram inventados por ela.

"Eles tinham vários tipos de angariações de fundos para a família, como um time de futebol composto por crianças pequenas que vendiam cupcakes", disse o detetive Cheryl Duffy, acrescentando que Susan tinha outros 1.500 dólares a receber quando foi detida na última quinta-feira (25).

Susan também fabricava e vendia pulseiras com as frases "equipe Nick" e "ninguém luta sozinho", disse a polícia. Além disso, um jantar beneficente foi marcado para junho deste ano, na escola do menino, para arrecadar fundos para o tratamento de Nick.

"O pior pesadelo de uma mãe é ter um filho doente. Infelizmente, a família Stillwaggon está sofrendo exatamente isso", diz uma página do Facebook que mostra Susan como criadora. "Meu estômago ainda dói, mas eu estou tentando descansar para que eu possa assistir aos jogos de futebol neste fim de semana, porque eles fizeram algo muito especial para mim", diz um post que a criança supostamente escreveu em 7 de março.

A polícia começou a investigar o caso a partir de uma denúncia anônima. Dois dias depois, o diretor da escola onde o menino estuda também chamou a polícia. A mãe tinha forjado um documento médico que detalhava o diagnóstico da criança e o entregou à escola, mas a aparência saudável do menino começou a levantar suspeitas.

A mãe, então, admitiu a mentira para os policiais, mas afirmou ter problemas financeiros. "A resposta dela para mim foi: "Preciso de ajuda"", disse o detetive.

Susan vai enfrentar acusações de roubo, fraude e falsificação, além de ter colocado em risco o bem-estar de uma criança e a usado para cometer crimes.

Fonte: G1