Menina de 10 anos morre após briga "por causa de garoto"

Menina de 10 anos morre após briga "por causa de garoto"

Sem nenhum ferimento aparente, jovem passou mal e perdeu a consciência depois do choque.

Uma menina de dez anos de Long Beach, Califórnia (Estados Unidos), morreu após uma briga com uma colega de escola da mesma idade, na última sexta-feira (24).

A polícia ainda investiga as causas da morte e da disputa entre as duas garotas, mas testemunhas ouvidas pela imprensa local dizem que a briga foi por causa de um garoto.

O caso foi classificado nesta segunda-feira (27) como um homicídio, causado por um "forte trauma" na cabeça da vítima. Joanna Ramos, 10, e sua colega brigaram após as aulas de sexta-feira à tarde.

A polícia acredita que nenhuma arma tenha sido usada e que o confronto tenha durado apenas um minuto. As duas garotas saíram caminhando, sem nenhum sinal visível de trauma em seus corpos.

Porém, mais tarde, Joanna passou mal e foi levada por seus parentes ao hospital. Chegou lá inconsciente e sem respirar, foi operada (aparentemente para a retirada de um coágulo no cérebro), mas não resistiu. Morreu na mesma noite.

"Saber o que aconteceu"

"Minha filha começou a se queixar de que não se sentia bem. (...) Levamos ela ao hospital, mas era tarde demais. Ela estava em coma", disse à emissora "Fox" a mãe de Joanna, Cecilia Villanueva. "Quero saber o que aconteceu".

Uma tia da garota disse ao jornal Long Beach "Press-Telegram" que acreditava que mais de uma garota poderia ter se chocado com sua sobrinha. A polícia interrogou a outra menina envolvida na briga, mas não deu mais detalhes sobre o caso.

Há relatos de que a briga já tivesse sido marcada pelas meninas - ou seja, de que não tenha sido espontânea. Mas autoridades ligadas à escola disseram não saber da rivalidade entre as duas.

De acordo com o Long Beach Press-Telegram e a emissora local "KTLA", havia relatos de bullying na escola, mas nenhum aluno interrogado disse que Joanna era um alvo de gozações.

"Ainda estamos tentando colocar as peças desse quebra-cabeça no lugar", disse à imprensa o vice-chefe da polícia local, Robert Luna. Até a noite de segunda-feira, ninguém havia sido detido por conta do caso.

Fonte: g1, www.g1.com.br