Menina de 10 anos tem tumor de três quilos removido do abdômen

Menina de 10 anos tem tumor de três quilos removido do abdômen

Tumor do tamanho de bola de futebol era benigno, mas poderia ter matado britânica se não tivesse sido removido.

Uma menina britânica de dez anos de idade teve um tumor de três quilos -- do tamanho de uma pequena bola de futebol -- removido de seu abdômen.

A mãe de Eliana Mann, Tara, disse que a vida da menina foi transformada pela complexa operação, realizada no Hospital Infantil de Great Ormond Street, em Londres.

Apesar de ser benigno, o tumor poderia ser fatal se continuasse a crescer.

"Se ela não tivesse o tumor removido, ele acabaria crescendo, crescendo e crescendo e acabaria a matando simplesmente devido a seu tamanho", disse Tara à BBC.

"Não tínhamos muita opção. Foi uma operação vital".

Sintomas

Os primeiros indícios de que alguma coisa não ia bem apareceram no verão de 2009. Eliana não estava se desenvolvendo de forma normal: seus pés não cresciam havia dois anos, ela não se alimentava bem e estava cansada o tempo todo.

Seu pai, Paul, achou que a barriga da menina estava dura demais. O médico concordou e pediu exames.

Quando o enorme tumor benigno foi descoberto, os médicos tentaram reduzi-lo com quimioterapia, mas após um ano e meio de tratamento, ele ainda estava aumentando de tamanho.

"Caso raro"

Em julho de 2011, foi tomada a decisão de remover o tumor.

"Este tipo de tumor nesta localização é muito raro. Vemos menos de um por ano no Great Ormond Street Hospital", disse o cirurgião Edward Kiely.

Havia uma chance em dez de que a operação não desse certo. Foram nove horas de cirurgia e diversos pedaços de tumor foram retirados, o maior deles pesando três quilos.

Em setembro, Eliana voltou para a escola e, segundo a mãe, ela é uma nova criança.

"Ela está crescendo, ganhou peso, tem muita energia. Ela luta boxe, joga netball [uma variação do basquete praticada na Grã-Bretanha] e faz natação", conta Tara.

A história de Eliana foi tema de um documentário que vai ao ar no canal BBC2, na Grã-Bretanha, na noite desta terça-feira (15).

Fonte: G1