Michelle Obama e as duas filhas visitam a Grande Muralha da China

Primeira-dama visitou ponto turístico com as filhas, Malia e Sasha. Michelle Obama conheceu parte da muralha que data da dinastia Ming.

A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, conheceu neste domingo (23), junto com as filhas, Malia e Sasha, uma das seções da Grande Muralha da China mais próximas de Pequim, em seu último dia de estadia na capital do país asiático antes de viajar às cidades de Xian e Chengdu.


Michelle Obama e as filhas visitam a Grande Muralha da China

Michelle, Malia e Sasha visitaram uma parte da muralha que data da dinastia Ming após almoçarem em uma antiga escola que se transformou em hotel e restaurante nas imediações do monumento, em um dia notavelmente mais poluído que os anteriores de sua visita.

De manhã, a esposa do presidente Barack Obama tinha participado de uma mesa-redonda sobre educação na embaixada dos EUA em Pequim junto com professores e famílias chinesas, onde destacou a importância de uma educação de qualidade.

"Não estaria aqui hoje se meus pais não tivessem investido para que eu recebesse uma boa educação e me pressionassem para aproveitá-la", disse Michelle no encontro.

A primeira-dama visita a China durante uma semana junto com suas filhas e sua mãe, Marian Robinson, visando estreitar laços entre os dois países através de uma "diplomacia suave", especialmente nas áreas de educação e cultura.

Na sexta-feira, ela passou o dia junto com a primeira-dama chinesa, Peng Liyuan, com quem visitou uma escola e percorreu a Cidade Proibida.

Michelle também se reuniu com o presidente da China, Xi Jinping, que a cumprimentou junto com sua esposa na sexta-feira antes que elas jantassem e assistissem a um espetáculo.

No sábado, a esposa do presidente americano discursou no Centro Stanford da Universidade de Pequim, onde ressaltou a necessidade de respeito à liberdade de informação e de religião.

Durante sua estadia em Xian, Michelle visitará a exposição dos famosos guerreiros de terracota, enquanto em Chengdu irá a um centro de preservação de ursos panda e uma escola.

Fonte: G1