Mil brasileiros estão sob o fogo cruzado perto da Faixa de Gaza, reconhece Itamaraty

Mil brasileiros estão sob o fogo cruzado perto da Faixa de Gaza, reconhece Itamaraty

O Itamaraty diz que a embaixada em Tel Aviv mantém contato por telefone com os brasileiros em área de risco

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil, dos 10 mil brasileiros que vivem hoje em Israel, menos de mil se encontram nas áreas próximas à faixa de Gaza. A região é considerada de risco por ser alvo dos ataques de foguetes disparados pelo Hamas.

O Itamaraty diz que a embaixada em Tel Aviv mantém contato por telefone com os brasileiros em área de risco -muitos deles vivem no kibutz Bror Chail, que o chanceler Antonio Patriota visitou em outubro.





"Há 50 famílias de brasileiros vivendo em torno de Gaza. Oferecemos um albergue em Tel Aviv. Ninguém até agora se dispôs a deixar sua casa", disse o conselheiro Roberto Parente, cônsul em Tel Aviv.

A missão entrou em contato com brasileiros que moram fora da área de risco, pedindo que recebam em casa cidadãos do país que residem perto de Gaza.

O paulista Nathan Galkovitz, morador de Bror Chail, disse que os moradores do kibutz estão em alerta em razão dos ataques. "Ninguém sai de casa. Na noite passada fomos acordados às 3h por uma sirene", afirmou Galkovitz, cuja filha foi morta em 2005 após ser atingida por um foguete vindo de Gaza.

O embaixador de Israel no Brasil, Rafael Eldad, lamentou a situação dos moradores do kibutz e defendeu a ação israelense.

"Há anos os membros desse kibutz são vítimas dos bombardeios diários do Hamas", disse Eldad, que divergiu da estimativa do Itamaraty, afirmando que cerca de 5 mil brasileiros vivem na região.

"A população israelense está debaixo de uma chuva de foguetes e Israel precisa fazer algo para proteger seus cidadãos."

O embaixador palestino no Brasil, Ibrahim Al Zeben, diz que também há brasileiros em Gaza, e que os ataques de Israel ameaçam "todos que estão na região".

Fonte: Folha