Militar pisa em explosivos e morre após desativar uma bomba; veja

Inquérito revelou como bomba explodiu depois de Lisa Head desarmar um dispositivo e detonar parcialmente outro.


Militar pisa em explosivos e morre após desativar bomba no Afeganistão

Uma militar britânica que tinha acabado de desarmar uma bomba improvisada em uma rua no Afeganistão morreu momentos depois, na explosão de outro dispositivo.

Os detalhes da morte de Lisa Head, de 29 anos, ocorrida em abril de 2011, foram divulgados em um inquérito em Bradford, na Grã-Bretanha.

Segundo o inquérito, Head tinha desarmado uma primeira bomba e estava tentando desativar a segunda quando um terceiro dispositivo explodiu. O incidente ocorreu na província de Helmand.

Head chegou a ser levada do Afeganistão de volta para a Grã-Bretanha, mas não resistiu aos ferimentos e morreu um dia depois da explosão.

A capitã Lisa Head foi a segunda militar britânica feminina a morrer no Afeganistão.

Distância segura

Adam Tucker, militar que estava com Lisa na ocasião da explosão, contou durante o inquérito que ele e Lisa entraram em uma rua estreita de Nahr-e-Saraj depois de receber informações de que um dispositivo suspeito tinha sido encontrado.

Tucker conta que eles chegaram a desativar uma bomba e então se afastaram para uma distância segura.

Lisa então voltou para o beco com um colega para tirar fotos, quando um segundo dispositivo teve uma explosão parcial, mas sem maior gravidade e sem causar ferimentos em nenhuma pessoa.

"Perguntei várias vezes à capitã Head se ela queria continuar (a desarmar as bombas) e, sendo uma mulher teimosa como era, ela queria continuar", contou Tucker.

O soldado afirmou que quando Head voltou novamente para a rua estreita, uma terceira bomba explodiu.

Tucker então pegou uma arma, equipamento médico e um detector de metais para procurar por Lisa, mas, quando a poeira da explosão abaixou, ele percebeu que não havia tempo para uma busca segura, seguindo as orientações normais.

"Nos arriscamos e corremos até a capitã Head. Quando chegamos, percebemos que ela tinha quatro amputações e o tempo (para o socorro) era limitado", disse.

Tucker afirmou que a militar estava consciente o tempo todo, "os olhos estavam abertos e ela respondia".

Ao todo, os militares aplicaram pelo menos nove torniquetes e curativos nos ferimentos antes de ela ser levada pelo resgate aéreo.

Lisa Head perdeu as duas pernas, um braço acima do cotovelo e dedos da outra mão. Ferimentos da explosão, incluindo um ferimento na cabeça, foram a causa da morte da militar.

O militar Gareth Collett, especialista britânico no desarmamento de bombas, afirmou que Lisa voltou para desarmar o dispositivo pois era "uma militar profissional".

"Se o beco não tivesse sido limpo da maneira apropriada, cidadãos locais teriam sido mortos naquela área", disse Collett no inquérito.

Fonte: G1