'Minissaia' causa espanto e polêmica nas ruas do Afeganistão

Fotos recentes de uma mulher não identificada caminhando em Cabul com uma saia na altura dos joelhos causou espanto e passou a ser muito compartilhada na internet.

Uma mulher andando pela rua com as pernas à mostra não seria algo chocante na maioria das cidades do mundo, mas Cabul, capital do conservador Afeganistão, não é como a maioria das cidades do mundo.

Fotos recentes de uma mulher não identificada caminhando em Cabul com uma saia na altura dos joelhos causou espanto e passou a ser muito compartilhada na internet.

"Fiquei chocado", disse o autor da foto, o jornalista afegão Hayat Ensafi.


"Sabia que tinha que registrar este momento único, porque nunca havia visto uma mulher andando na rua desse jeito."

No Afeganistão, mulheres enfrentam duras restrições quanto às roupas que devem usar em público – e exibir as pernas vai contra as regras em prática no país.

Nem sempre foi assim. No fim dos anos 1960 e no início dos anos 1970, muitas afegãs usavam véu, mas não era raro vê-las usando saias curtas em Kabul.

Nos anos seguintes, sob o regime do Talebã, novas regras foram introduzidas e, até hoje em dia, a norma é ver mulheres totalmente cobertas por burcas.

"É arriscado para uma mulher andar com as pernas à mostra em Cabul", diz Syed Anwar, correspondente da BBC na capital.

Identidade desconhecida
Talvez por isso o jornalista que registrou a cena incomum não tenha conseguido nada além das fotos.

Ensafi tentou falar com a mulher depois de fotografá-la, sem sucesso. "Ela andava muito rápido e não respondia a nada", disse ele.

Sua identidade permanece um mistério em meio à grande controvérsia causada pelas fotos.



Nos vários comentários deixados nas imagens publicadas no Facebook, as opiniões se dividiram. "Eu a parabenizo por sua coragem. Queremos ver mais mulheres saindo para a rua assim", disse uma afegã.

"Meu corpo, meu direito", escreveu outra.'Declínio moral' Outros comentários sobre a foto foram menos positivos.

"Vivemos em um país muçulmano e não podemos aceitar pessoas como ela", disse Ahmad, um usuário da rede social.

Alguns apontaram a misteriosa mulher como um símbolo do que diziam ser o "declínio moral" do Afeganistão.

Enquanto outros questionavam se ela não estaria fazendo isso para protestar contra as restrições de vestimentas e, assim, dando munição para a propaganda do Talebã contra este tipo de comportamento.

"Temos visto milhares de pessoas falando disso, não só nas redes sociais, mas também nas ruas", diz Syed Anwar.

"Muitas pessoas questionam se ela está protestando ou até se tem algum problema mental."

Nos vários comentários deixados nas imagens publicadas no Facebook, as opiniões se dividiram.

"Eu a parabenizo por sua coragem. Queremos ver mais mulheres saindo para a rua assim", disse uma afegã.

"Meu corpo, meu direito", escreveu outra.

'Declínio moral'
Outros comentários sobre a foto foram menos positivos.

"Vivemos em um país muçulmano e não podemos aceitar pessoas como ela", disse Ahmad, um usuário da rede social.

Alguns apontaram a misteriosa mulher como um símbolo do que diziam ser o "declínio moral" do Afeganistão.

Enquanto outros questionavam se ela não estaria fazendo isso para protestar contra as restrições de vestimentas e, assim, dando munição para a propaganda do Talebã contra este tipo de comportamento.

"Temos visto milhares de pessoas falando disso, não só nas redes sociais, mas também nas ruas", diz Syed Anwar.

"Muitas pessoas questionam se ela está protestando ou até se tem algum problema mental."

Fonte: G1