Ministro alemão acusado de plágio acadêmico renuncia

Karl-Theodor zu Guttenberg negou plágio, mas admitiu ter cometido "erros".

O ministro alemão da Defesa, Karl-Theodor zu Guttenberg, de 39 anos, importante figura do governo da chanceler Angela Merkel, apresentou nesta terça-feira (1º) o pedido de demissão depois de ter sido acusado de plágio na sua tese de doutorado.

"Sempre estive disposto a lutar, mas cheguei ao limite de minhas forças", declarou à imprensa, antes de agradecer à chanceler Merkel, aos membros do partido conservador e aos soldados alemães.

Em fevereiro, a imprensa acusou o ministro de plágio, mas Guttenberg negou, apesar de ter admitido erros.



Guttenberg ficou sem seu título de doutor em Direito, anunciou na semana passada a Universidade de Bayreuth.

"A Universidade de Bayreuth retira do Sr. zu Guttenberg o título do doutorado", anunciou solenemente o presidente da instituição bávara, Rüdiger Bormann.

"A tese não correspondeu a um trabalho científico correto", acrescentou Bormann que se absteve, no entanto, de qualificar o trabalho de plágio.

O ministro admitiu "graves erros" cometidos em sua tese de Direito, e chegou a pedir à universidade que retirasse o título dele .

Ele é acusado de ter copiado passagens inteiras de outras teses sem citar seus autores. Isto valeu a ele pelo menos duas queixas na justiça e o apelido de "Barão copia-cola" e "Barão von Googleberg".

Fonte: g1, www.g1.com.br