Missa de Páscoa na praça de São Pedro reúne quase 100 mil pessoas no Vaticano

Missa de Páscoa na praça de São Pedro reúne quase 100 mil pessoas no Vaticano

Papa Bento XVI celebrou missa na praça da basílica de São Pedro

Quase 100 mil pessoas compareceram neste domingo (8) à praça de São Pedro, no Vaticano, para assistir à missa de Páscoa celebrada pelo Papa Bento XVI. A estimativa de público foi divulgada pelo Vaticano.

A missa, que começou às 10h30 (5h30, no horário de Brasília), é a principal festa do cristianismo e precede a bênção "urbi et orbi" (à cidade de Roma e ao mundo), durante a qual o papa pronuncia uma mensagem de Páscoa em 65 idiomas.

Fim da violência na Síria

Na mensagem, exibida ao vivo para vários países, Bento XVI condenou as discriminações e perseguições sofridas pelos cristãos no mundo, em particular no Oriente Médio, ao mesmo tempo que pediu o fim da violência e o início do diálogo na Síria.

"Cristo é esperança e consolo de modo particular para as comunidades cristãs que mais provas sofrem por causa da fé, por discriminações e perseguições", disse ao mencionar os conflitos no Oriente Médio, Síria, Mali e Nigéria.

O pontífice pediu pelo fim do derramamento de sangue na Síria e defendeu o diálogo e a reconciliação no país, afetado por uma revolta popular duramente reprimida pelo regime de Bashar al-Assad. "Que na Síria cesse o derramamento de sangue e se inicie sem demora a via do respeito, do diálogo e da reconciliação, como também defende a comunidade internacional".

Antes da missa na praça da basílica de São Pedro, o pontífice atravessou a multidão à frente de uma procissão de religiosos. Bento XVI vestiu os ornamentos litúrgicos dourados, como é tradição. A mensagem de Páscoa concluiu os ritos da Semana Santa. O papa deverá passar a segunda-feira (9) de Páscoa, que é dia festivo no Vaticano e na Itália, no Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, no sul de Roma.

Também neste domingo (8), o Vaticano anunciou que Bento XVI visitará o Líbano entre os dias 14 e 16 de setembro. A viagem terá como objetivo enviar uma mensagem de paz e unidade aos cristãos desta região do Oriente Médio.

Fonte: G1