Morre jovem brasileiro agredido em bar em Sydney, na Austrália

Morre jovem brasileiro agredido em bar em Sydney, na Austrália

O Hospital Saint Vincent, onde o brasileiro se encontra, já havia anunciado há algumas horas, após vários exames, a morte cerebral de Rodrigues.

A polícia de Sydney, na Austrália, confirmou nesta terça-feira a morte do brasileiro Lúcio Stein Rodrigues. O biólogo de 34 anos foi internado após ser agredido na madrugada de domingo. O Hospital Saint Vincent, onde o brasileiro se encontra, já havia anunciado há algumas horas, após vários exames, a morte cerebral de Rodrigues.

O crime aconteceu por volta das 3h30 (horário local), quando ele estava com um amigo em frente a um bar, esperando por outros dois jovens que haviam saído para comprar uma pizza. Eles iriam embora juntos, mas um dos rapazes se envolveu numa briga e Lúcio interferiu para defender o amigo. O brasileiro caiu, bateu a cabeça e sofreu traumatismo craniano. Operado às pressas, ele permaneceu em coma até ser declarada a morte cerebral. De acordo com o porta-voz do hospital, a morte deve ser declarada em algumas horas.

Há dois anos na Austrália, Lúcio é de São Paulo, estudou na Universidade Federal de São Carlos e trabalhou como diretor de Meio Ambiente da prefeitura de Capivari. A briga aconteceu na frente do Scruffy Murphy"s, um conhecido pub irlandês no centro de Sydney. A polícia e uma ambulância foram chamadas ao local e o brasileiro foi imediatamente submetido a uma cirurgia para controlar a hemorragia e aliviar a pressão intracraniana. Ele teria perdido massa encefálica.

Briga de bar

As circunstâncias da briga ainda não foram esclarecidas, mas testemunhas contaram à polícia que Lúcio levou um soco no rosto e caiu. O agressor, de 33 anos, foi preso sem direito à fiança, sob a acusação de lesão corporal grave. O superintendente da Delegacia de Polícia de Surry Hills, Allan Sicard, disse que o incidente envolveu bebidas alcoólicas. "Se você sai à noite, não pode esperar beber em excesso, se envolver numa briga e sair ileso disso", declarou.

Segundo os amigos, o brasileiro é uma pessoa calma, que não usava drogas e nunca se meteu em confusão. "Ele adorava tomar sua cervejinha normalmente no sábado à noite porque trabalhava bastante como operário, mas era muito amigo e conquistava todo mundo por onde passava. Quem o conheceu, ama o Lúcio por todas as suas características", disse um conhecido.

Alessandra Moreira, que dividiu o apartamento com Lúcio, destacou a personalidade tranquila do brasileiro. "Ele é uma pessoa simples, calma, não é de briga. Sempre foi um amor de pessoa. Nunca teve intriga com ninguém e era querido por todo mundo", garantiu. Segundo ela, o biólogo estava trabalhando como pedreiro na tentativa de economizar dinheiro para renovar o visto de permanência no país.

Os amigos estão deixando mensagens de solidariedade em sua página no Facebook. A comunidade brasileira em Sydney está se mobilizando para arrecadar fundos e ajudar a família, que recebeu a notícia através do consulado. Os familiares também conversaram com o hospital, utilizando um intérprete.

Em fevereiro deste ano, outro brasileiro também sofreu traumatismo craniano, após ser agredido por seguranças de um pub em Sydney. O estudante Marcus Vinicius Moraes entrou em coma e passou por cirurgias, mas se recuperou e voltou para o Brasil. Hoje, vive ao lado da família no Rio Grande do Sul.

Fonte: Terra