Mulher confessa ter matado e esquartejado ex-namorado

Estíbaliz Carranza, de 32 anos, admitiu à polícia da cidade de Udine (Itália), onde foi detida

Uma espanhola confessou nesta sexta-feira ter matado e esquartejado seu ex-marido e um ex-namorado, e escondido os pedaços de seus corpos em vários recipientes no porão da sorveteria que gerencia em Viena, onde os restos mortais foram localizados no início da semana.

Estíbaliz Carranza, de 32 anos, admitiu à polícia da cidade de Udine (Itália), onde foi detida, acusada de ter assassinado os dois homens, que estavam desaparecidos há meses. Segundo os legistas, as vítimas receberam disparos na cabeça.



Fontes da polícia local informaram à agência Efe que a jovem explicou, ao ser interrogada, que atuou motivada por "problemas familiares", já que, segundo ela, sofrera maus tratos físicos e psicológicos por parte das vítimas.

As fontes também disseram que a mulher se mostrou tranquila durante todo o interrogatório, mas mencionaram que ela sofre claramente de algum transtorno psicológico.

O paradeiro dos corpos foi revelado na segunda-feira passada, quando operários que trabalhavam em uma obra de saneamento de uma barbearia localizada no mesmo prédio onde fica a sorveteria entraram no porão do estabelecimento vizinho, que seria o ponto de origem de um vazamento, após não conseguirem entrar em contato com os responsáveis pela loja.

Ao encontrarem dois rifles de precisão no porão, os operários começaram a inspecionar o local, e encontraram uma bolsa feminina contendo uma pistola e um caderno com anotações em espanhol. Os homens então se depararam com uma geladeira fechada com cimento.

"Nós a abrimos, e saiu um cheiro horrível. Então chamamos a polícia", disse à Agência Efe Erkan Köksal, proprietário da barbearia.

Na manhã do dia seguinte, Estíbaliz chegou à sorveteria para abrí-la. Mas ao saber que os corpos foram encontrados e que a polícia estava investigando o que havia acontecido, deixou o local.

"Nunca a tinha visto com aquela expressão no rosto. Ela tremia, não parecia a pessoa que eu conhecia. Normalmente era muito simpática, muito agradável com todos", lembrou Köksal, testemunha da reação da espanhola.

"Ela saiu da sorveteria, atravessou a rua e foi ao ponto de ônibus. Usou o celular para fazer uma ligação e embarcou", relatou o barbeiro.

A polícia levou ainda um dia para emitir uma ordem de busca nos países da União Europeia por "suspeita de assassinato".

Nesta sexta-feira, investigadores receberam a informação de que a espanhola foi de táxi até o norte da Itália, onde se hospedou primeiro em um hotel da cidade de Tolmezzo, e depois em Udine, onde se encontrou com um jovem que lhe ofereceu estadia em seu apartamento.

O rapaz foi o mesmo que, assustado pelo estranho comportamento da jovem e após reconhecê-la pela foto divulgada pela imprensa, avisou à polícia, que a deteve.

As análises de DNA confirmaram que um dos corpos encontrados é o de um ex-namorado, e acredita-se que os outros restos pertençam a seu ex-marido, com o qual abriu a sorveteria em Viena e teve desavenças financeiras após a separação. Para justificar o sumiço do ex-marido, a espanhola contou a clientes que ele havia se mudado para a Índia.

O Ministério da Justiça austríaco confirmou à Agência Efe que enviará à Itália um pedido de extradição até a próxima terça-feira.

Fonte: UOL