Grávida com distúrbios mentais é obrigada a retirar bebê por cesariana

Serviços sociais conseguiram ação na justiça – recuperada, mãe tenta obter a guarda da criança.

Uma ordem judicial obrigou uma mulher italiana a retirar o bebê que carregava em seu útero depois que ela sofreu um colapso mental ao viajar para a Grã-Bretanha a trabalho. A menina que agora tem 15 meses de vida, nasceu por cesariana depois da intervenção da justiça.

A mãe da criança agora diz que se recuperou, e tenta obter a guarda do bebê. Mas as autoridades não estão permitindo. Os advogados da mulher alegam que o conselho deveria ter consultado a família da mesma em primeiro lugar e os serviços sociais italianos deveriam ter ficado com a responsabilidade sobre a criança.

A mulher foi para a Inglaterra em julho de 2013, e sofreu um ataque de pânico. Ela foi levada para um hospital, e ao tentar voltar para seu hotel, foi impedida por conta de seus distúrbios mentais.

Brendan Fleming, advogada da mulher, disse: "Eu nunca ouvi falar de nada parecido com isso em todos os meus 40 anos de trabalho. Eu posso entender quando alguém está muito doente e não pode ser capaz de concordar com um procedimento médico, mas uma cesariana forçada é sem precedentes?.

Fonte: Tech Mestre