"Dama de Gelo" mata homens e põe restos dentro de concreto

"Dama de Gelo" mata homens e põe restos dentro de concreto

Zabala teria matado o marido após ele se recusar a sair de casa após ela revelar que tinha um amante.

Uma mulher conhecida como a "Dama de Gelo" começou a ser julgada na Áustria nesta segunda-feira acusada de assassinar dois homens e esconder seus restos mortais em um bloco de concreto embaixo de sua sorveteria. Goidsargi Estibaliz Carranza Zabala, que tem cidadania espanhol e mexicana, é acusada de matar a tiros o marido, em 2008, e um novo parceiro em 2010.

Na abertura do chamado "julgamento do ano" no país, promotores alegaram que a mulher desmembrou os corpos de Holger Holz e de Manfred Hinterberger com uma motosserra e escondeu os restos em um bloco de concreto que ela mesma misturou em um porão de sua loja em Viena.

Zabala, 34 anos, teria matado o marido após ele se recusar a sair de casa após ela revelar que tinha um amante, segundo o site Austrian Independent. O veículo afirma que ela matou o novo parceiro dois anos mais tarde após descobrir que ele estava saindo com outra mulher. Ela teria passado por aulas de tiro e cursos sobre misturar concreto, além de comprar uma nova motosserra, antes do segundo assassinato.

Os restos humanos foram encontrados por acaso durante uma manutenção de rotina na sorveteria em junho de 2011. A mulher chegou a fugir para a Itália, mas foi capturada e posteriormente extraditada. Na época da prisão, ela estava grávida de um outro homem, com quem casou na prisão em março deste ano. O bebê nasceu em janeiro mas foi imediatamente levado para ser criado pelos avós maternos, em Barcelona.

De acordo com o Austrian Independent, um relatório sobre a saúde mental da acusada aponta que ela tem condições de ser julgada pelo duplo assassinato após admitir a um psiquiatra que "poderia matar de novo". No entanto, ela estava sendo mantida em uma unidade para pessoas com distúrbios mentais.

De acordo com um advogado de Defesa, a acusada pretende confessar. "Ela já contou para o especialista indicado pela corte tudo que ela fez, assim como quando foi presa pela polícia italiana", disse Werner Tomanek.

Fonte: Terra