Mulher provoca a própria morte nos EUA

Mulher provoca a própria morte nos EUA

No começo, ela admitiu o descuido, mas depois mudou versão no tribunal

A enfermeira americana Lora Hunt, de 49 anos, foi condenada a 18 meses de prisão periódica por ter atropelado e matado uma motoqueira enquanto dirigia e pintava as unhas ao mesmo tempo na cidade de Lake Zurich, no estado americano de Illinois.

A decisão foi tomada por um tribunal do condado de Lake, que rejeitou o pedido da defesa por uma pena menos rigorosa. Os jurados discutiram durante cerca de quatro horas antes de decidir pela condenação por homicídio por negligência.

Lora chorou ao ser sentenciada e levada para custódia, segundo a imprensa local. Ela disse a seus familiares que os amava.

Ela havia sido condenada em maio e estava arriscada a pegar até cinco anos de cadeia.

O caso que provocou a morte de Anita Zaffke, de 56 anos, ocorreu em 2 de maio de 2009, em um cruzamento entre a Rota 12 e a Rua Old McHenry.

A acusação argumentou que Hunt estava distraída com suas unhas e não viu a moto de Anita, parada um pouco à sua frente no cruzamento, atingindo-a e matando-a.

Logo após o atropelamento, Lora confessou à polícia que estava "distraída" com a pintura das unhas. Os policiais acharam vestígios de esmalte no airbag, que foi acionado durante o acidente.

Mas ela mudou a versão durante o julgamento: disse que já tinha parado de pintar as unhas no momento do choque, mas não viu a moto porque estava prestando atenção ao semáforo.

A prisão periódica prevê que Lora fique na cadeia durante a noite, mas possa sair de dia para trabalhar ou receber cuidados médicos ou tratamento de saúde mental.

Ela também vai ter de cumprir mais 30 meses de liberdade condicional e mais 240 horas de trabalho comunitário.

Fonte: g1, www.g1.com.br