Mulher que acusou ex-chefe da HP se apresenta

Mulher que acusou ex-chefe da HP se apresenta

Ex-atriz Jodie Fisher revelou sua identidade pela primeira vez.

A mulher cuja acusação de assédio sexual contra Mark Hurd o levou a deixar a presidência-executiva da Hewlett-Packard se apresentou no domingo (8), declarando que sua intenção jamais foi a de que ele perdesse o emprego.

Jodie Fisher, ex-atriz que trabalhou em um reality show da rede de TV NBC em 2007, revelou sua identidade pela primeira vez, por meio de uma declaração divulgada por sua advogada, Gloria Allred.

"Fiquei surpresa e entristecida ao saber que Mark Hurd perdeu seu emprego devido a isso", afirmou Fisher, 50. "Não era de maneira alguma a minha intenção".

A renúncia de Hurd, anunciada na sexta-feira (6), chocou o mundo dos negócios. A HP o acusou de falsificar relatórios de despesas de modo a ocultar "um relacionamento pessoal estreito" com Fisher.

Nos primeiros comentários públicos da empresa em dois dias, a HP afirmou no domingo que havia recebido resposta "extremamente favorável" dos investidores depois da queda de Hurd, um dos mais admirados executivos do mundo.

A saga começou no final de junho, quando Fisher apresentou acusação de assédio sexual contra Hurd. Ela trabalhou como prestadora de serviços para a HP entre o final de 2007 e 2009.

Uma investigação pela empresa não encontrou violações de suas normas contra assédio sexual, mas identificou relatórios de despesas incorretas apresentados por Hurd, e casos em que Fisher havia recebido remuneração da empresa sem propósito legítimo de negócios, segundo a HP.

Fisher, que não é casada e tem um filho, declarou no domingo (8) que havia resolvido sua queixa contra Hurd em acordo privado e não deu mais detalhes. Ela afirmou que não teve um caso com Hurd.

Fisher trabalhou como corretora de imóveis comerciais, vendedora, e como atriz em filmes, a exemplo de "Blood Dolls" e "Sheer Passion", nos anos de 1990, de acordo com o site imdb.com. Mais recentemente, ela trabalhou no reality show "Age of Love", da NBC, em 2007.

Ela também trabalhou para o Comitê Seleto de Abuso e Controle de Narcóticos da Câmara dos Deputados norte-americana.

A presidente-executiva interina da HP, Cathie Lesjak, afirmou que a companhia tem sido transparente sobre as circunstâncias que geraram a saída de Hurd, mas não quis comentar o assunto além disso.

Fonte: g1, www.g1.com.br