Mulher, que praticava bullying contra amigo, torturou e o matou com gangue

Georgina Smith, de 22 anos, insultou a família de Scott Blackwood fingindo ser estar angustiada sobre seu assassinato terrível

Uma assassina cruel postou uma mensagem de condolências na internet sobre sua vítima, quatro dias após ela e sua gangue torturarem-na até a morte.


Mulher, que praticava bullying contra amigo, torturou e o matou com sua gangue

Georgina Smith, de 22 anos, insultou a família de Scott Blackwood fingindo ser estar angustiada sobre seu assassinato terrível.

Ela praticava bullying com Scott, seu antigo colega de quarto, há meses e estava com a quadrilha quando atacou o homem de 30 anos de idade em Saltcoats, Ayrshire, Reino Unido.

Scott foi espancado, esfaqueado, estrangulado e amarrado a um poste. Seus assassinos encharcaram-no de querosene e tentaram atear fogo nele. Quando finalmente acabaram com a tortura, Scott apresentava lesões tão graves quanto de alguém que sofrera um acidente de carro.

No final de um julgamento de cinco semanas, Smith foi considerada culpada de homicídio culposo. As outras mulheres envolvidas, Nicol, de 36 anos, e Moore, de 26, foram condenadas por assassinato e deverão cumprir pelo 20 anos de prisão.

Depois de Scott foi encontrado morto em seu apartamento no dia 4 de julho do ano passado, Smith postou uma homenagem caridosa online. A mensagem, aparentemente sincera de seu "bom colega de quarto", foi uma tentativa de cobrir seus rastros.

Scott sofreu 72 ferimentos separados, incluindo queimaduras pelo fogo e por outras substâncias químicas. Ele tinha 13 facadas feridas e três costelas quebradas em seu corpo. Sua cavidade ocular e maçãs do rosto foram quebradas e apresentava sinais de estrangulamento.

Nicol, Moore e Smith não demonstraram nenhuma emoção quando foram levadas para as suas celas.

Fonte: Mirror