Mulher traída se recusa acompanhar resgate do marido

Mulher traída se recusa acompanhar resgate do marido

O reencontro com os familiares tem sido o ponto alto do resgate dos 33 mineiros

O reencontro com os familiares tem sido o ponto alto do resgate dos 33 mineiros que estavam há quase 70 dias presos na mina San José, em Copiapó, no norte do Chile. Beijos, abraços, lágrimas dão o tom da emoção cada vez que um dos trabalhadores chega à superfície.

Mas o final feliz do mineiro Johnny Barrios foi diferente. Ao sair da mina na tarde desta quarta-feira (13), Barrios não encontrou sua esposa do lado de fora. Marta Salinas, casada com Barrios há 28 anos, declarou ao jornal argentino Clarín que não iria ao encontro do marido. O motivo? O mineiro tem outra mulher esperando por ele no acampamento de Copiapó.

Barrios , que chegou à superfície por volta das 16h30 desta quarta, foi recebido por Susana Valenzuela. A imprensa chilena tratou Susana como ?namorada? de Barrios.

Segundo o jornal, Marta soube da existência da ?amante? do marido no acampamento organizado pelas famílias dos mineiros e pelo governo chileno.

?Estou contente porque ele se salvou, é um milagre de Deus, mas não vou ver o resgate. Ele me pediu, mas também convidou a outra senhora e eu tenho decência?, disse a esposa traída. ?É ela ou eu?, afirmou Marta.

De acordo com declarações dadas ao Clarín, Marta não irá assistir o resgate nem mesmo pela televisão. ?Em conversas telefônicas e nas cartas que ele me enviou, ficou claro que ele está bem e isso é o suficiente para mim?, afirmou.

Segundo Marta, sua decisão foi apoiada até mesmo pela primeira-dama chilena, Cecilia Morel.

Fonte: Globo.com